Angola e União Europeia discutem fortalecimento das relações políticas e económicas

Vice-Presidente da República, Manuel Vicente (Foto: Pedro Parente)
Vice-Presidente da República, Manuel Vicente (Foto: Pedro Parente)
Vice-Presidente da República, Manuel Vicente (Foto: Pedro Parente)

O fortalecimento das relações políticas, económicas e comerciais entre Angola e a União Europeia (EU) foram avaliadas nesta sexta-feira, em Luanda, num encontro que o Vice-presidente da República, Manuel Vicente, manteve com um grupo de embaixadores europeus.

O grupo foi encabeçado pelo representante da UE em Angola, Jean Cristian Gordon Kricke, e dele fizeram parte os embaixadores das Repúblicas da Bélgica, Polónia, Portugal, Suíça, Espanha, França, Itália, Alemanha e Suécia, bem como os dos Reinos dos Países Baixos e da Noruega.

Segundo o representante da UE, as relações com Angola “são muito positivas e fortes” e “temos a intenção de as fortalecer, ver facilitada a entrada de investimentos europeus”.

Disse ter sido um encontro positivo, durante o qual o Vice-Presidente da República confirmou o interesse angolano em investimento externos, particularmente europeus, que podem contribuir para diversificação da economia angolana e criar novos postos de trabalho.

Gordon Kricke afirmou haver interesse em “aumentar o diálogo político” sobre questões regionais e mundiais por Angola assumir um papel importante a nível continental e no Conselho de Segurança das Nações Unidas, na qualidade de membro não permanente.

Considera a UE como o parceiro mais importantes de Angola e que a cooperação “é activa” e tem se efectivado em áreas como as da saúde, desminagem, água e saneamento, educação e agricultura sustentável.

Quanto a possibilidade de novos investimento europeus, o diplomata explicou que dependem dos países membros, que procuram envolver cada vez mais as suas empresas e aumentar a sua presença no solo pátrio angolano.

Informou que no encontro também foram analisadas as relações comerciais com Angola.

A União Europeia é uma união económica e política de 28 Estados-membros independentes situados principalmente na Europa.

A UE tem as suas origens na Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA) e na Comunidade Económica Europeia (CEE), formadas por seis países em 1957. Nos anos que se seguiram, o território da UE foi aumentando de dimensão através da adesão de novos Estados-membros, ao mesmo tempo que aumentava a sua esfera de influência através da inclusão de novas competências políticas.

O Tratado de Maastricht instituiu a União Europeia com o nome actual em 1993. A última revisão significativa aos princípios constitucionais da UE, o Tratado de Lisboa, entrou em vigor em 2009. Bruxelas é a capital de facto da União Europeia. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA