Ler Agora:
Moxico: Governante espera desenvolvimento e bem-estar das populações
Artigo completo 2 minutos de leitura

Moxico: Governante espera desenvolvimento e bem-estar das populações

Ministro dos Transportes, Augusto Tomás (Ministro dos Transportes, Augusto Tomás)

Ministro dos Transportes, Augusto Tomás (Ministro dos Transportes, Augusto Tomás)

O Ministro angolano dos Transportes, Augusto Tomás, afirmou que espera que o dia 14 de Fevereiro marque uma viragem no sentido do desenvolvimento e do bem-estar das populações da região do Moxico, particularmente da cidade do Luau.

O governante falava momentos após o Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, inaugurar o Aeroporto, a Estação ferroviária e a ponte ferroviária transfronteiriça, todos estes empreendimentos na cidade do Luau (província do Moxico).

Ao considerar que “hoje, 14 de Fevereiro, constitui um dia histórico para o Luau, que entra para a história do desenvolvimento de Angola no século XXI”, Augusto Tomás enfatizou que o comboio do Caminho-de-Ferro de Benguela chegou novamente ao Luau, desde o Porto do Lobito (extremo atlântico), um percurso de 1.340 quilómetros de uma linha férrea “completamente reabilitada e modernizada”.

A última vez que o comboio operou no Luau foi em 1983, passaram-se 32 anos, recordou o governante, acrescentando ser “imensa a alegria por este grande feito, por esta conquista”.

“Parece cumprir-se a profecia do nosso poeta maior, doutor António Agostinho Neto, quando escreveu: aos nossos rios, nossos lagos, às montanhas, às florestas havemos de voltar”referiu.

O Ministro dos Transporte realçou o facto de a cidade do Luau ser visitada, em simultâneo, por três chefes de Estado, e que, provavelmente, nenhuma outra cidade, senão a capital angolana, Luanda, terá alguma vez merecido esta honra.

Edgar Chagwa Lungu, Presidente da Zâmbia, e Joseph Kabila do Congo Democrático, testemunharam a inauguração da Estação Ferroviária do Luau, no âmbito do projecto do Corredor do Lobito, que interliga por via terrestre e ferroviária Angola, Zâmbia e RDC, numa perspectiva do desenvolvimento da região austral de África (SADC). (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »