Ler Agora:
Governante defende preservação das cidades históricas
Artigo completo 2 minutos de leitura

Governante defende preservação das cidades históricas

José Silva Ministro do Urbanismo e habitacão (Foto: Lucas Neto)

José Silva Ministro do Urbanismo e habitacão (Foto: Lucas Neto)

O ministro do Urbanismo e Habitação, José Silva, disse hoje (terça- feira), em Luanda, que o surgimento de novas infra-estruturas e ampliações das cidades devem obedecer o ordenamento territorial com valor histórico no país.

O governante que falava à imprensa, a propósito da Conferência Internacional
de Urbanismo, sob o lema “O papel do urbanismo nas cidades do futuro”,
justificou que a preservação e o respeito do património histórico devem ser
obedecidos de uma forma sustentada, de modo a manter a sua identidade.

Enalteceu, por outro lado, o grupo empresarial Teixeira Duarte, por ter iniciativas
que permitam partilhar experiências ou realidades de vários países, nas
questões ligadas à expansão e ao futuro das cidades, fruto do crescimento
demográfico que se regista nos centros urbanos.

“O crescimento demográfico nas cidades deve merecer de toda sociedade uma
visão de planeamento ou perspectiva que torne cada vez mais confortável,
segura e consolidada na vida de todos os cidadãos”, reforçou o ministro.

Assegurou haver necessidade urgente de planificação que possibilita o
crescimento físico, a sustentabilidade económica e ambiental dos espaços.

salientou que o seu ministério está a trabalhar na execução e implementação do
instrumento do ordenamento do território para balizar o crescimento e expansão
das cidades, tendo em conta o cariz histórico salvaguardado para as futuras
cidades.

Por seu turno, o delegado da administração do grupo Teixeira Duarte em Angola,
Valdemar Marques, referiu que a actividade se insere num curso avançado que
versa planeamento urbano sustentável e ordenamento do território, para suscitar
um espaço de debate de maior interacção entre países.

Entre individualidades e prelectores, participaram do evento mais de 200
delegados, vindos de Moçambique, Portugal, Brasil e Angola, país anfitrião. (portalangop.co.ao)

1 comentário

  • redacao

    Essas políticas, só nos trarão vantagens no que toca a salvaguarda das nossas cidades. A preservação e o respeito ao património histórico nas cidades são sempre uma mas valia e uma referência no que toca a história de um povo. Parabéns Senhor Ministro.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »