Ler Agora:
Centralidades do país terão plano de conclusão – PCA da Imogestin
Artigo completo 3 minutos de leitura

Centralidades do país terão plano de conclusão – PCA da Imogestin

(Foto: D.R.)

(Foto: D.R.)

O Presidente do Conselho de Administração da Imogestin, entidade encarregue da gestão dos novos projectos habitacionais do Estado, Rui Cruz, afirmou sexta-feira, na comuna de Bom Jesus, município de Icolo e Bengo, Luanda, que todas centralidades do país terão, brevemente, um plano de conclusão progressivo ou parcial.

O responsável fez esta afirmação à Angop, à margem de uma visita que efectuou a Centralidade do Km-44, nesta região de Icolo e Bengo, pela primeira vez, para constatar o seu estado actual.

Feita a constatação, assegurou que até o mês de Abril do ano em curso um plano geral das centralidades deverá estar concluído, com vista a apresentar ao governo angolano o seu grau de execução e estratégias para a sua continuidade.

No local, Rui Cruz reuniu-se com membros da administração municipal, com a empresa de fiscalização e com a referida empreiteira chinesa, tendo deixado várias orientações visando a melhoria dos trabalhos.

O PCA disse que a Imogestin só intervém na gestão da obra, no ponto de vista da construção de infra-estruturas e, seguidamente, da vendas dos espaços, deixando bem claro aos presentes que tudo após a comercialização fica ao cuidado dos autoridades do Estado.

“Depois das vendas, a organização dos moradores, passeios, jardins, sinalização, disciplina de autoridades pública tem haver com a entidade pública, o governo provincial de Luanda, a administração municipal local e a sua organização administrativa” esclareceu aquele responsável.

Questionado sobre os vários defeitos nas obras da respectiva centralidade, disse que o quadro é totalmente anormal e que deverá analisar uma série de questões para pôr ordem a conclusão de todas as obras, caso estejam no estado da centralidade do Km-44.

“ Temos muitos problemas para resolver para podermos concluir esta obra, que está com 40 porcento a nível das habitações, mas há uma série de questões a analisar e repensar. Não encontramos um quadro como desejaríamos de encontrar”, desabafou.

Assegurou que um diagnóstico profundo vai ser feito na próxima semana com uma equipa de consultores de engenharia, para dar origem ao planeamento, uma vez que a empreiteira é nova, a fiscalização igualmente.

Garantiu que a Imogestin irá trabalhar com as respectivas empresas contratadas pela ex-gestora das centralidade, SONIP, visando equacionar todos os problemas herdados nas diversas centralidades.

Finalmente, lamentou o estado das obras sublinhando que o quadro é muito preocupante, pois que, reiterou, “a situação que estamos a herdar aqui é de muita desorganização e falta de responsabilidade de quem tratou isto antes”.

Actualmente, a centralidade do Km-44 e do Capari, esta da província do Bengo, debatem-se com vários defeitos desde a falta de esgotos e áreas para águas residuais e pluviométricas, energia, defeitos nas parede e tectos dos apartamentos, fissuras nas ruas, entre outros. (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »