Ler Agora:
Vice-presidente da UNAC defende formação sólida
Artigo completo 2 minutos de leitura

Vice-presidente da UNAC defende formação sólida

(Fotografia: Francisco Bernardo)

(Fotografia: Francisco Bernardo)

Manuel Vieira Dias Tomás “Maneco”, vice-presidente para dança da União Nacional dos Artistas e Compositores (UNAC), defendeu em Luanda que deve haver formação sólida na actividade da dança no país, quer ao nível do ensino médio quer no superior.

Maneco, que falava à Angop, referiu que tem de se trabalhar numa aprendizagem sólida porque a Escola Média de Dança da Direcção Nacional de Formação Artística (DINFA) funcionou há já algum tempo, mas sem aquela dimensão que se pretendia.
“Acredito que com a reestruturação que está a ser feita pelo Executivo e com a entrada em funcionamento do novo espaço para o ensino das artes, pensamos que muita coisa se vai alterar, até porque há muitos angolanos que se formaram em Cuba, precisamente com o objectivo de ensinar”, asseverou.
Além disso, o Executivo, através do Ministério da Cultura, tem estado a negociar com outros países, sobretudo com Cuba, no sentido de se ter cada vez mais professores de dança em Angola.
Quanto à qualidade dos grupos de dança existentes, Maneco disse que ainda é insuficiente, mas nota-se que há grupos muito bons, como o Kilandukilu, Companhia de Dança Contemporânea (CDC), Ballet Nacional e Bismas das Acácias.
“Temos alguns grupos de qualidade, mas são muito poucos, tendo em conta a dimensão de Angola. Penso que nem a 50 por cento temos vindo a explorar aquilo que são as nossas reais culturas”, salientou o responsável.
Angola, constatou, foi sempre um país de dança e a prova evidente é o facto de já existirem grupos angolanos a ganhar prémios no exterior. (jornaldeangola.com)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »