‘Troika’ deu nota positiva à avaliação do programa de assistência

Troika em Lisboa (Foto: D.R.)
Troika em Lisboa (Foto: D.R.)
Troika em Lisboa (Foto: D.R.)

A ‘troika’ deu nota positiva a Portugal ao fim da oitava e nova avaliações regulares ao programa de assistência, disse o Governo, em conferência de imprensa.

«Passámos estas avaliações, o que credibiliza Portugal e permite ao país aproximar-se decisivamente do fim do processo de ajustamento», afirmou Paulo Portas.

Durante a apresentação dos resultados da 8ª e 9ª avaliações do Programa de Assistência Económica Financeira, o vice-primeiro-ministro afirmou também que foi defendido pelo Governo, durante as negociações, um alargamento da meta do défice para o ano que vem dos atuais 4% para 4,5%, mas a ‘troika’ não revelou abertura.

«O Governo defendeu, como já fizera em abril deste ano, um objetivo mais adequado e dentro dos limites do tratado orçamental da União Europeia, 4,5%», da meta para 2014, sublinhou.

No entanto, explicou o governante, esta meta não foi alargada, como já havia sido, porque a «’troika’ não revelou abertura nesta matéria».

Paulo Portas aproveitou para afirmar que, segundo o Governo, esta alteração seria «melhor para o interesse nacional», mas que esta proposta esbarrou na intransigência da ‘troika’.

Outra das revelações de Paulo Portas foi a de que Governo e ‘troika’ reviram em alta a previsão de crescimento para o próximo ano de 0,6% para 0,8% do Produto Interno Bruto.

Segundo o governante, a revisão incorpora as melhorias no desempenho económico que terão acontecido no segundo e terceiro trimestres deste ano.

As previsões para o desemprego serão também melhores, apesar de Paulo Portas não ter detalhado o cenário macroeconómico, adiantando apenas que o aumento do desemprego não será tão elevado como esperado na última revisão (18,2% este ano e 18,5% no próximo ano). (tsf.pt)

DEIXE UMA RESPOSTA