Quénia: Autoridades anunciam inquérito ao atentado e tentam salvaguardar turismo

(Foto: hapakenya.com)
(Foto: hapakenya.com)
(Foto: hapakenya.com)

Os deputados do Quénia anunciaram, esta segunda-feira a instauração de um inquérito sobre o atentado ao centro comercial Westgate, em Nairobi.

O ataque, que matou pelos menos 67 pessoas e 39 continuam desaparecidas, pôs a nu os problemas de segurança que o país enfrenta.

O turismo do Quénia pode sofrer um grande revés. Os Estados Unidos alertaram os cidadãos para não viajarem para o país. O governo do Quénia não gostou.

“O alerta em relação às viagens, nesta fase, não está a ajudar o nosso esforço coletivo contra o terrorismo global. Não podemos e não devemos permitir que os terroristas intimidem o nosso povo e por isso solicitamos aos Estados Unidos, enquanto país amigo do Quénia, para levantar o alerta de viagens,” assegura o ministro queniano do interior, Joseph Ole Lenku.

Poucos dias após o atentado, os turistas que estão de férias no país, estão cautelosos mas asseguram que o ataque não os fez cancelar as visitas.

Anne Plant, uma turista canadiana, afirma que estavam “preocupados, antes de virmos. Recebemos telefonemas de muitas pessoas a perguntar se ainda vínhamos, mas até agora tem sido seguro. Temos estado, a maior parte do tempo, com pessoas locais e creio que isso ajuda muito,” conclui.

“O nosso mundo é, hoje, um lugar perigoso. As coisas acontecem a toda a hora. O Westgate aconteceu no dia anterior à nossa viagem e muitas pessoas estavam preocupadas. Nem pensámos nisso,” diz Ted Like, um turista norte-americano.

A indústria do turismo é é essencial para a sobrevivência da economia do Quénia e representa mais de 10 por cento do Produto Interno Bruto do país. (pt.euronews.com)

DEIXE UMA RESPOSTA