PM’s são afastados de actos após flagrante forjado em protesto no Rio

Vídeo mostra o momento em que o PM joga morteiro nos pés do jovem, que acabou detido (Foto: Folha de São Paulo)
Vídeo mostra o momento em que o PM joga morteiro nos pés do jovem, que acabou detido (Foto: Folha de São Paulo)
Vídeo mostra o momento em que o PM joga morteiro nos pés do jovem, que acabou detido (Foto: Folha de São Paulo)

Os dois policiais militares suspeitos de forjar um flagrante durante a manifestação dos professores, na terça-feira (1º), no centro do Rio, foram afastados das ruas até que a sindicância aberta pela PM seja concluída. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da polícia nesta quinta.

De acordo com a PM, os dois policiais militares que aparecem no vídeo divulgado pelo jornal “O Globo”, identificados como major Fábio Pinto e tenente Andrade, serão ouvidos hoje pela corporação. As imagens mostram um jovem sendo detido e algemado depois de um dos PMs simular a posse de um morteiro.

As imagens, amplamente difundidas ontem na internet, mostram o jovem sendo detido após ter sua mochila revistada na Cinelândia.

No momento em que o rapaz abria a bolsa, um policial se aproxima com um morteiro na mão e joga o artefato aos pés do rapaz. Logo depois, outro policial grita: “algema, algema!”

Outras pessoas que acompanhavam a ação policial reagiram indignadas. Em nota, o comando da PM informou que o jovem foi liberado da delegacia, sem que tenha sido feito boletim de ocorrência pela posse do artefato.

“Não houve flagrante. Ele foi conduzido para a delegacia onde foi feito apenas um registro de ‘conduta atípica’, sem atribuir a ele posse de nenhum material.”

O comunicado acrescentou que o rapaz foi detido “apenas para averiguação”.

O protesto de terça no Rio começou majoritariamente com professores e estudantes e cresceu ao longo do dia, com black blocs e vandalismo. Pelo menos 20 pessoas ficaram feridas e 17 foram detidos –nenhum era professor. (folha.uol.com.br)

DEIXE UMA RESPOSTA