Ler Agora:
Cabo Verde: PAICV classifica de “equívoco” colocação de Cabo Verde no 15º lugar do ranking mundial da escravatura
Artigo completo 3 minutos de leitura

Cabo Verde: PAICV classifica de “equívoco” colocação de Cabo Verde no 15º lugar do ranking mundial da escravatura

(inforpress.publ.cv)

(inforpress.publ.cv)

Cidade da Praia – O secretário-geral do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Júlio Correia, classificou hoje de “equívoco” a colocação de Cabo Verde no 15º lugar no ranking mundial da escravatura, publicado pela Walk Free Foundation (WFF).

“Cabo Verde tendo passado pela escravatura é um país que combate de forma visceral toda e qualquer forma de escravatura. Aliás Cabo Verde é um Estado signatário da carta das Nações Unidas contra a tortura e todas as formas de escravatura e sempre esteve na luta  da frente em defesa dos direitos  humanos”, disse  em declarações à Inforpress.

Júlio Correia salientou ainda que a questão da escravatura é uma questão dos tribunais e dos direitos humanos e afirmou que não há nenhum relatório das instituições cabo-verdianas com responsabilidade de agir e de punir estas situações, que  pode levar  a conclusão existe a  escravatura no país.

“Também não se conhece as categorias que estão por detrás da feitura desse ranking e  da  própria colocação de Cabo Verde. Portanto eu acho que deve ter ocorrido algum equívoco”, salientou afirmando que “esse ranking é um disparate autêntico”.

O secretário-geral do partido que sustenta o Governo considera que o cabo-verdiano “não acha” que em Cabo Verde hoje existe a escravatura, pelo que solicita o esclarecimento desse “equívoco”.

“Eu creio que devemos todos tentar esclarecer esse “equívoco” porque estou ciente que os cabo-verdianos não reconhecerão este relatório”, assegurou aquele responsável do PAICV.

Segundo o relatório Cabo Verde ONG australiana Walk Free Foundation (WFF) em todo mundo existe ocupa e 29,8 milhões de pessoas a viver como escravos e num ranking de 162 países Cabo Verde ficou colocado no 15º lugar.

A WFF, que incluiu no seu relatório não apenas as formas tradicionais de escravatura como também práticas similares, como casamentos forçados, venda, ou exploração infantil, indica que existem em Cabo Verde entre 3500 a 3900 pessoas escravizadas.

Mauritânia ficou classificado em primeiro lugar devido a gravidade da situação, mas é a Índia o país com o número mais alto de escravos, quase 14 milhões.

A WFF é uma organização global que luta contra a escravidão mundial através da mobilização de um movimento activista global, gerando uma investigação da mais elevada qualidade e arrecadando níveis sem precedentes de capital para impulsionar a mudança nos países e indústrias responsáveis pela escravidão moderna nos dias de hoje.

O índice de Escravidão Global foi criado em colaboração com um painel internacional de especialistas de organizações internacionais, centros de pesquisa e instituições académicas e foi apoiado por líderes mundiais como Hillary Clinton, Tony Blair, Gordon Brown, Julia Gillard, Bill Gates e Mo Ibrahim. (inforpress.publ.cv)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »