Músico aconselha nova geração a procurarem compositores consagrados

Gaby Moy (ANGOP)
Gaby Moy (ANGOP)
Gaby Moy (ANGOP)

O músico e compositor Gaby Moy aconselhou hoje, terça-feira, em Luanda, os intérpretes da nova geração a contactar os mais experimentados no sentido de serem auxiliados na composição dos temas musicais, salvaguardando desta forma a essência do estilo Semba.

Em entrevista à Angop propósito do estado actual  do Semba , o músico mostrou-se satisfeito com o surgimento de novos fazedores do estilo ,acreditando  que a continuidade  está salvaguardada para as próximas gerações.

Mais, apesar deste aspecto, Gaby Moy afirmou que os jovens devem contactar  os mais velhos para orientarem na composição dos temas, referindo-se, sobretudo, nos temas interpretados em línguas nacionais, por apresentarem uma complexidade na sua composição e expressão, apelando a maior intercâmbio entre as duas gerações.

O compositor afirma que o estilo Semba tem características específicas que devem ser salvaguardadas de formas a manter a essência  do estilo.

“Os novos fazedores  devem sentar com os mais velhos para que o testemunho seja passado com exactidão”, reforçou.

Segundo Gaby Moy, os músicos mais experimentados  devem mostra toda disponibilidade para auxiliar esta geração disponível a elevar e salvaguardar este estilo herdado dos antepassados e que serve de identidade da cultura nacional.

O compositor  mostrou a sua satisfação pelo interesse  dos músicos na reedição e interpretação de temas do passado, mas aconselha a seguirem os termos legais para realização do pedido da regravação.

“A surgimento de cantores da nova vaga a interpretarem temas do passado é umas das formas de mostrar os feitos realizados pelos kotas nos anos 50 e 60“, disse.

Gaby Moy é uma referência da música angolana da geração de 1980. O seu primeiro trabalho discográfico foi “Vizinha Zongola”, lançado em 1992, que o guindou no topo da música angolana.

Fazem ainda parte da sua discografia o disco Semba Kizomba (1994), Tu Mbanza Muá Ngola (1996), Quem Procura Acha (1998), Angikitá (2000), Músicas do Musseque (2003) e Angolanissimo, 2009. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA