Moçambique: Guebuza garante que não haverá nova guerra

Combatentes da Renamo durante um treino nas montanhas da Gorongoza (2012). (AFP FOTO / JINTY JACKSON)
Combatentes da Renamo durante um treino nas montanhas da Gorongoza (2012). (AFP FOTO / JINTY JACKSON)
Combatentes da Renamo durante um treino nas montanhas da Gorongoza (2012).
(AFP FOTO / JINTY JACKSON)

Presidente moçambicano assegura que está fora de questão nova guerra civil. No terreno, os confrontos persistem e as populações começam a deixar as suas casas.

O presidente moçambicano, Armando Guebuza, assegurou à agência de notícias AFP, esta quarta-feira, que “está fora de questão uma nova guerra civil”. Porém, os confrontos prosseguem. Hoje, uma coluna de veículos militares foi atacada na região de Muxungué, no centro do país. As populações começam a abandonar as suas residências e multiplicam-se os apelos ao apaziguamento.

As autoridades atribuíram o ataque desta manhã “a homens armados da Renamo”. Em declarações aos jornalistas, o director Nacional Adjunto da Política Nacional de Defesa no Ministério da Defesa, Manuel Mazuze, falou em “incidentes para criar terror” e indicou que seis pessoas ficaram feridas no ataque contra a coluna de viaturas que fazia o trajecto Muxungué-Rio Save.

Manuel Mazuze indicou, ainda, que, “uma patrulha das forças armadas foi atacada pela Renamo”, na região de Vanduzi, em Sandjudjira. Foi aqui que há uma semana o exército atacou o local onde o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, viveu no último ano. Desde então, desconhece-se o paradeiro de Dhlakama. (rfi.fr)

 

DEIXE UMA RESPOSTA