Ministro apela unidade entre os antigos combatentes

Kudi Paihama Ministro dos Antigos Combatentes e Veterano da Patria (ANGOP)
Kudi Paihama Ministro dos Antigos Combatentes e Veterano da Patria (ANGOP)
Kudi Paihama Ministro dos Antigos Combatentes e Veterano da Patria (ANGOP)

O ministro angolano dos antigos combatentes e veteranos da pátria, general Kundy Paihama, apelou sábado, na cidade do Kuito, província Bié, a unidade entre os antigos combates de forma a se preservar a paz.

O general Kundy Paihama manifestou este sentimento à imprensa no final de uma visita de três dias que efectuou à província do Bié, onde radiografou as actividades do sector de tutela.

Kundy Paihama advogou que deve haver unidade nacional entre todos antigos combatentes e veteranos da pátria que lutaram contra o colonialismo português, com vista a fortalecer a paz.

“Temos notado que existem fragilidades entre os antigos combatentes do MPLA, UNITA e da FNLA, no que concerne a unidade nacional e troca de experiência sobre os assuntos relacionados com o país”, disse.

Esta situação, segundo ele, em nada contribui para a pacificação das mentes, uma vez que todos lutaram pela mesma causa, que é a libertação contra a repressão colonial e posteriormente a proclamação da independência.

O governante deu ainda a conhecer que o ministério quando resolve questões relacionados com os ex-combates não exclui ninguém e o tratamento tem sido dado de igual para igual, razão pelo qual ninguém deve se sentir abandonado.

Pontualizou igualmente que a instituição está a trabalhar na implementação de diversos programas que possas garantir, a curto prazo, melhore a qualidade de vida dos seus assistidos.

Entretanto, Kundy Paihama anunciou a construção de quatro mil casas para acomodar condignamente os assistidos e suas famílias.

O ministro salientou que as casas irão minimizar a carência de habitação que os antigos combatentes e veteranos da pátria atravessam, visto que não têm capacidades financeiras para erguerem as suas residências.

A quantidade de residências a serem construídas, frisou, vai continuar a ser ínfima, tendo em conta o grande número de antigos combatentes existentes no país, acrescentando que acima de tudo irá resolver o problema de habitação de muitas famílias.

Assegurou que o Ministério do Plano garantiu a quota financeira que será empregue na construção das referidas residências, sem no entanto revelar a quantia monetária a ser investido no projecto.

Kundy Paihama afirmou que o Ministério está a elaborar o plano de distribuição das quotas de casas ao nível das provinciais, tendo admitido que a capital do país (Lunada) já não será abrangida.

O titular da pasta disse ainda que o Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria controla cerca de 159 mil antigos, facto que exige maior esforço e colaboração dos assistidos.

O ministro, durante a sua estadia de três dias à província do Bié, visitou as cooperativas agrícolas de Havala (Kuito) e de Kalila (Katabola), bem como manteve encontros com os membros do governo provincial e da direcção local dos antigos combates. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA