Ministra da Cultura considera necessário fomento das actividades culturais

ministra da cultura, rosa cruz e silva (ANGOP)

A ministra da Cultura, Rosa Cruz Silva, apontou nesta terça-feira, em Luanda, a necessidade do resgate de valores e fomentação das actividades culturais, de formas a dinamizar o sector e a cultura nacional.

ministra da cultura, rosa cruz e silva (ANGOP)
ministra da cultura, rosa cruz e silva (ANGOP)

A responsável fez esta declaração à Angop a propósito do anúncio do Presidente da Republica, José Eduardo dos Santos, da necessidade de reajustar as políticas culturais face ao contexto que o país vive.

Segunda a ministra, o reajuste da política cultural vai fomentar o resgate dos valores morais e cívicos e potenciar os criadores angolanos de ferramentas essenciais para a execução das suas acções.

Entre os objectivos, de acordo com Rosa cruz e Silva, conta ainda a potenciação da investigação e da valorização da cultura para as respostas que se pretendem tendo em conta o engrandecimento da cultura nacional.

Rosa cruz e Silva diz ser necessário trabalhar-se para salvaguarda da cultura nacional, razão pela qual é necessário que a nova geração conheça os principais traços da cultura nacional.

Na sua intervenção na abertura da  segunda  sessão legislativa da  terceira legislatura da Assembleia Nacional o Chefe de Estado afirmou que a  política cultural vai ser reajustada e revitalizada na sua execução para maior valorização do livro e  incentivos à leitura, para a realização de actividades culturais regulares nos municípios, províncias e a nível nacional, tanto no domínio do folclore e do artesanato como no das manifestações de cultura popular e erudita.

“Precisamos nesta área de criar também com urgência os estabelecimentos de formação básica, média e superior para facilitar o acesso ao conhecimento científico e técnico dos cidadãos. Devemos promover também a projecção regional e internacional das nossas figuras de destaque no domínio cultural e o registo e reconhecimento internacional dos bens culturais materiais e imateriais que simbolizam a nossa identidade”, reafirmou José Eduardo dos Santos. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA