Mãe de ativista brasileira presa na Rússia envia carta a Dilma

Se considerados culpados, os ativistas podem pegar até 15 anos de cadeia (Foto: JB)
Se considerados culpados, os ativistas podem pegar até 15 anos de cadeia (Foto: JB)
Se considerados culpados, os ativistas podem pegar até 15 anos de cadeia (Foto: JB)

Uma carta escrita por Rosangela Maciel para Dilma Rousseff foi protocolada na Presidência da República, em Brasília, na manhã desta quarta-feira. A mãe da bióloga gaúcha Ana Paula Maciel, que está presa na Rússia, pede à presidente que intervenha diplomaticamente junto ao governo russo pela libertação de sua filha. A brasileira e outras 29 pessoas foram acusadas de pirataria e estão em prisão provisória desde 19 de setembro, depois de um protesto pacífico contra a exploração de petróleo no Ártico.

“Se Ana Paula hoje está injustamente presa a milhares de quilômetros de casa, o motivo é um só: ela dá a cara a tapa por uma causa que é de todos nós. A senhora, presidente, sabe muito bem o que é isso. Não só por ser mãe e avó, mas principalmente por ser, como a minha Ana, uma mulher idealista. Uma mulher que também já foi injustamente para a cadeia, por causas que não eram apenas suas”, escreveu Rosângela. “Peço humildemente que use seu peso político, de chefe de nação, para que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, possa se sensibilizar e interceder por Ana, que há anos trabalha pacificamente por um mundo melhor.”

A mãe da brasileira também iniciou uma petição online no Change.org, pedindo às pessoas que enviem uma carta a Dilma pela libertação de Ana. No último sábado, Rosangela esteve em São Paulo para participar de um ato global em apoio aos ativistas presos. Mais de 200 cidades, em todos os continentes, fizeram eventos semelhantes, pedindo a libertação do grupo.

Na segunda-feira, o governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro (PT) se reuniu com diretores do Greenpeace e se comprometeu a reforçar pessoalmente o pedido de intervenção pela libertação da gaúcha à presidente Dilma. Ele ainda aifirmou que iria acionar a secretaria de Justiça e dos Direitos Humanos do Estado para entrar oficialmente no caso.

Mobilização na Câmara

Deputados da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos também se sensibilizaram em defesa de Ana Paula e mobilizam para esta quarta-feira, às 15h, um ato no Anexo II da Câmara, em Brasília, para reafirmar a solidariedade do Congresso Nacional aos ativistas do Greenpeace.

Ontem, a corte regional de Murmansk – onde os ativistas estão detidos – rejeitou os pedidos de liberdade provisória para dois dos ativistas e o fotógrafo freelancer até que as investigações sobre pirataria sejam concluídas. Na manhã desta quarta, mais um pedido foi negado. Anteriormente, a Justiça já havia descartado a possibilidade de estipular fiança para o caso.

Novas audiências apelando contra a decisão da Justiça russa devem ocorrer ao longo da semana, até sábado. A audiência da brasileira Ana Paula Maciel ainda não tem uma data divulgada. (jb.com.br)

DEIXE UMA RESPOSTA