Juan Carlos “destronado” no dia de Espanha

(EURONEWS)
(EURONEWS)
(EURONEWS)

Um dia nacional de Espanha, pela primeira vez, sem Juan Carlos. O príncipe Felipe presidiu às cerimónias do “dia da hispanidade” em Madrid, em substituição do rei, que se encontra a recuperar de uma operação recente.

Uma imagem simbólica num momento em que muitos se interrogam no país sobre a oportunidade de uma passagem de testemunho à cabeça da monarquia.

Apesar do protagonismo, o herdeiro da coroa teve que ceder às regras do protocolo, com uma versão do hino reduzida a 20 segundos e sem direito aos tradicionais “vivas” dos militares.

As cerimónias foram marcadas igualmente pela crise económica, com uma redução dos custos em 15% relativamente ao ano passado.

Em Barcelona, mais de 30 mil pessoas concentraram-se no centro da cidade em defesa da “união nacional”, como resposta às aspirações independentistas da Catalunha.

Uma marcha apoiada pelo Partido Popular (PP), no poder.

A presidente do PP da Catalunha, Alicia Sanchez Camacho, explica os objetivos da manifestação: “hoje a Catalunha silenciosa quebra o silêncio. Queremos dizer a viva voz que somos catalães e que esta é a nossa forma de sermos espanhóis, nós não queremos sair da Europa, queremos a garantia de que podemos coabitar e viver em liberdade e igualdade na Catalunha”.

Duas manifestações paralelas reuniram igualmente algumas centenas de pessoas noutras áreas de Barcelona: um protesto de extrema-esquerda contra o fascismo e uma marcha de militantes neonazis para assinalar o antigo “dia da raça” durante os tempos da ditadura franquista. (euronews.com)

DEIXE UMA RESPOSTA