Jovens com fraca adesão aos cursos profissionais

Jovem em formação profissional (Foto: ANGOP)
Jovem em formação profissional (Foto: ANGOP)
Jovem em formação profissional (Foto: ANGOP)

O chefe dos serviços provinciais do Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP) na Lunda Sul, André Issuzo, mostrou-se, hoje, quinta-feira, nesta cidade, preocupado com a fraca aderência da juventude aos cursos profissionais como de corte e costura, sapataria, carpintaria, olaria e cerâmica.

Em declarações à Angop, a propósito do assunto, o responsável admitiu que isso tem muito a ver com a exportação dos produtos, desvalorizando o que é feito localmente.

“A procura destas profissões e formações nestas áreas perdeu a sua relevância, por causa da exportação que substituiu os  produtos das alfaiatarias, sapatarias, carpintarias e cerâmicas locais”, disse

Segundo ele, a juventude actualmente prefere aderir cursos ou profissões de maior facilidade na inserção no mercado do emprego como a informática,  eletricidade de baixa tensão, alvenaria e decoração, contabilidade e gestão, entre outros.

André Issuzo apelou a juventude com baixo nível de escolaridade a aderir a estas profissões que também são de extrema importância e que lhes garantirão inserção no mercado de trabalho. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA