Instituto de Petróleos ganha centro tecnológico

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Sumbe – Um centro tecnológico para a índústria petrolífera foi inaugurado no Instituto Nacional dos Petróleos, (INP) no Sumbe, Kwanza Sul e visa melhorar as qualificações, empregabilidade e o desenvolvimento organizacional das empresas na perspectiva da modernização, aumento da produtividade e competitividade nesta ramo.

O referido centro, cujo descerramento da placa coube, sexta-feira, ao Ministro dos Petróleos, José Maria Botelho de Vasconcelos e o corte da fita ao governador do Kwanza Sul, Eusébio de Brito Teixeira, criou-se com o objectivo de corresponder às necessidades de formação nas áreas de electromecânica, automação, instrumentação, serralharia mecânica, e soldadura.

Constam do plano de formação a construção mecânica, operação de projecto e desenho, canalização e gás entre outras áreas necessárias para a indústria petrolífera.

Tem uma capacidade de formar 120 estudantes, através de equipamentos de última geração provenientes dos Estados Unidos da América, Portugal e Alemanha.

O centro teve a comparticipação da empresa petrolífera TOTAL EP e do Governo angolano. A instituição terá como missão preparar jovens  para o ingresso no mercado de emprego, tendo nestes moldes a componente prática aproximada à realização empresarial.

Na ocasião, José Maria Botelho de Vasconcelos referiu que o centro tecnológico está à altura de responder ao imperativo da qualificação crescente dos quadros do ramo dos petróleos e virá contribuir, paulatinamente, para o auto-financiamento da instituição.

“A abertura e entrada em funcionamento do centro tecnológico do INP é uma componente significativa,” rematou , acrescentando que “ são acontecimentos dotados de particular simbolismo, nesta trajectória de edificação de uma escola média técnica de petróleos, que constitui uma referência no nosso país e na região austral do nosso continente.”

Constitui prioridade, segundo o Ministro dos Petróleos, “aposta forte nas tecnologias de informação e comunicação para garantir o acesso fácil ao conhecimento e modernização da gestão dos serviços.”

Constituem-se pilares de formação do centro tecnológico as construções mecânicas, metálicas, canalizações e gás, manutenção e automação industrial, electricidade e energia, informática tecnológicas de informação e comunicação, projecto e desenho bem como a qualidade e ambiente.

Pretendem prestar serviços nos domínios da formação e inserção profissionais de jovens, formação contínua, serviços integrados às empresas, formação profissional e projectos de cooperação inovadoras a nível nacional e internacional.

O Instituto Nacional de petróleos foi criado em 1983. Oferece cursos de Geologia Petrolífera, Minas, Perfuração e Produção, Processamento de Gás, Refinaria, Instrumentação Petrolífera, Mecânica de Instalação Petrolífera, Electricidade Industrial, Operadores de Produção e de Refinaria, cujo docência é assegurada por 83 professores. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA