Guiné-Bissau: Raparigas esperam igualdade na educação

(AP)
(AP)
(AP)

Na Guiné Bissau o Dia Internacional da Rapariga acontece numa altura em que as estatísticas reportam um quadro relativamente preocupante com maior incidência no sector do ensino.

É que a garantia do ensino de base de dois ciclos, do primeiro ao sexto ano de escolaridade, continua a ser ainda uma preocupação de futuro, mediante um nível muito elevado da taxa de retenção das crianças nesse nível do ensino.

Fontes oficiais, indicam que, anualmente, em cada 100 raparigas que ingressam no ensino, só 40 atingem o fim do ciclo, só 33% das raparigas inscritas conseguem atingir o sexto ano do ciclo contra 47% das rapazes.

Este facto, segundo consta do manifesto apresentado hoje a Assembleia Nacional Popular, pela Rede Nacional das Professoras e Educadoras, prova que as crianças do sexo feminino são as que mais sofrem e os motivos são evidentes.

Face a este quadro, as educadoras guineenses lançaram apelos aos parlamentares na perspectiva de dias melhores, dia em que se assinala o dia Internacional das Meninas (voaportugues.com)

DEIXE UMA RESPOSTA