Publicado em: Seg, Out 28th, 2013

Grupo de vândalos invadiu a Muxima

(Fotografia: José Soares)

(Fotografia: José Soares)

A igreja da Muxima foi invadida ontem por volta das 9h40 por seis homens e uma mulher num momento em que o templo estava cheio de fiéis. Os invasores correram para o altar e atacaram a imagem de Nossa Senhora.

O reitor do Santuário, padre Albino Reis, disse ao Jornal de Angola, que “eram fanáticos religiosos”,  que “atacaram com raiva, a imagem da Mamã Muxima que sofreu danos mas podem ser recuperados”.
Os fiéis presentes ficaram em estado de choque. Uma testemunha da invasão disse  à nossa reportagem que “eles diziam que o Santuário não representa nada, por isso tem que ser destruído”. Uma mulher reagiu dizendo que eles não podiam violar a Casa de Deus. E o mais jovem do grupo respondeu: “não há liberdade religiosa”.
Quando a nossa reportagem chegou à Muxima, cerca das13h00 , encontrámos centenas de fiéis protestando contra os fanáticos que invadiram a igreja da Muxima. Os ânimos estavam alterados. Efectivos da Polícia Nacional protegiam os invasores do templo, para que a multidão não fizesse justiça pelas próprias mãos.
Para controlar a situação, chegou à Muxima um helicóptero que transportava agentes da Polícia de Intervenção Rápida. Os fiéis pediam às autoridades a entrega dos seis invasores do templo, que mutilaram a imagem de Mamã Muxima. “Eles estão a dizer que são contra a nossa religião porque adoramos imagens. Mas lá dentro da igreja diziam que o Santuário deve ser destruido”.
“Peço calma aos nossos fiéis. Devemos controlar os ânimos”, apelou o reitor do Santuário da Muxima, padre Albino Reis, perante a multidão em fúria.
Uma mulher que estava a rezar perto da porta de entrada conta como tudo aconteceu: “eles invadiram a igreja e empurraram as pessoas que estavam ajoelhadas à entrada, a rezar. Um deles disse que  é preciso destruir as igrejas.
Com a cara banhada em lágrimas, Joana Bernardo, 61 anos, disse à nossa reportagem que todos os domingos vai ao Santuário da Mamã Muxima pedir bênçãos para os filhos e outros familiares: “rezo por todos, pelos angolanos e por todos os povos do mundo. Rezo muito pela paz, mas um daqueles homens disse que é preciso fazer a guerra contra os católicos”.
Madalena Francisco, que estava a rezar no momento da invasão, disse que viu “um grande ódio contra os católicos e espero que não seja verdade o que eles diziam, pois falavam de pessoas que não se comparam com homens de bem e de fé.
Um oficial da Polícia Nacional disse à nossa reportagem que vai ser emitido um comunicado sobre o que ocorreu no Santuário da Muxima. Os agentes ouviram algumas pessoas que estavam no templo, quando o grupo invadiu a igreja e se dirigiu ao altar, para destruir a imagem de Nossa Senhora da Muxima.
“Estou convencido que a motivação dos agressores foi religiosa. Os agentes da autoridade têm que investigar tudo. A paz não pode ser posta em causa por fanáticos”, disse Brito João, que estava na igreja com a família, quando tudo aconteceu.
“Nós somos de Luanda, mas sempre que posso venho com a minha família rezar a Mamã Muxima. O que aconteceu aqui nunca mais pode acontecer.  Espero  que o que aconceteu aqui não volte a acontecer  e que travem este radicalismo”, disse.

Porta-voz da Polícia

O porta-voz do Comando Geral da Polícia Nacional, subcomissário Aristófanes dos Santos, referiu que a corporação deteve já os seis indivíduos acusados de estarem implicados no caso.
O tumulto, explicou, ocorreu quando um grupo de senhoras ligadas à Igreja da Arca de Noé, supostamente  invadiu a Igreja Católica da Muxima, em plena missa, onde danificaram uma das réplicas da santa, colocada no altar.
“A acção ocorreu quando o padre local celebrava uma missa matinal, tendo provocado um tumulto, entre os crentes das duas religiões. No confronto, foram arremessadas pedras e paus.
A situação só não foi mais grave devido a pronta intervenção da polícia local”, afirmou.
Durante o tumulto, ressaltou, um menor, cuja idade não foi revelada que se encontrava ao colo da mãe, ficou ferido mas não corre perigo.
Sobre as causas do confronto, o porta voz da Polícia Nacional, subcomissário Aristófanes dos Santos, referiu como uma das hipóteses o “fanatismo religioso” por parte dos crentes.
A corporação criou já uma comissão de inquérito, chefiada pelo segundo comandante provincial da Polícia Nacional para a Ordem Pública, Dias do Nascimento, para apurar as reais motivações do tumulto.
O Santuário da Nossa Senhora da Muxima, localizado a 121 quilómetros a nordeste do centro da cidade de Luanda, é o maior espaço de devoção católica no país, onde cerca de um milhão de peregrinos visitam anualmente o local. (jornaldeangola.com)

Por Pereira Dinis

Deixe um comentário

XHTML: Pode usar estas tags de html: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

mirc indir mirc yukle - escort - mirc indir - sohbet -
Crónicas


Arquivo

Setembro 2014
S T Q Q S S D
« Ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
Portal de Angola - Todos os direitos Reservados

Grupo de vândalos invadiu a Muxima