Ler Agora:
Executivo prioriza estruturação do povoamento e criação de uma rede de cidades
Artigo completo 2 minutos de leitura

Executivo prioriza estruturação do povoamento e criação de uma rede de cidades

Edeltrudes Gaspar da Costa - Ministro e Chefe da Casa Civíl da Presidência da República (Foto: Joaquina Bento)

Edeltrudes Gaspar da Costa – Ministro e Chefe da Casa Civíl da Presidência da República (Foto: Joaquina Bento)

O ministro de Estado e chefe da Casa Civil da Presidência da República, Edeltrudes Costa, enunciou hoje, quarta-feira, em Luanda, como uma das prioridades políticas do Executivo angolano, a estruturação do povoamento e a criação de uma rede de cidades que suportem e dinamizem o desenvolvimento dos territórios com menor potencial.

O alto funcionário da Presidência da República veiculou esta informação quando discursava na abertura do Seminário sobre Ecoeficiência do Espaço Público que se realiza sobe égide da Comissão Multissectorial para o Ambiente.

De acordo com o dirigente, a promoção da criação de polos de desenvolvimento económico nas regiões com um nível sócio-económico mais baixo constam das prioridades políticas do executivo.

Estas prioridades, acrescentou, serão por sua vez implementadas de acordo com as linhas de orientação dos programas de acção fundamentais da política de promoção do desenvolvimento equilibrado do território que preconizem a restruturação do povoamento e ordenamento do território.

Adiantou que estas linhas promovem a modernização das capitais de províncias, tendo como objectivo a criação de uma rede urbana qualificada e sustentável do ponto de vista ambiental, composta por cidades ecoeficientes, criativas e solidárias, enquadradas numa estratégia de povoamento em rede, que constituem polos dinamizadores dos espaços rurais.

Em sua opinião, este programa deve fomentar a construção de uma rede de transportes e comunicação que visa integrar o território nacional, favorecendo a circulação das populações, bens e serviços produzidos e valorizando a posição geoestratégica de Angola.

Estas vias, disse, poderão afirmar-se como âncora do desenvolvimento regional e espaço de excelência para residir, trabalhar e investir, garantindo a existência de um ambiente saudável e acolhedor, onde todos os cidadãos possam ter acesso aos bens públicos como a saúde, cultura, habitação e o ensino de qualidade, entre outros. (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »