Discurso do presidente do MPLA deve ser usado como instrumento de estudo pelos militantes

Primeira secretária municipal do MPLA na Ingombota, Joana Quintas (ANGOP)
Primeira secretária municipal do MPLA na Ingombota, Joana Quintas (ANGOP)
Primeira secretária municipal do MPLA na Ingombota, Joana Quintas (ANGOP)

Luanda – A primeira secretária do MPLA do município de Luanda, Joana Quintas, orientou hoje, sábado, nesta cidade, os militantes do seu partido a usarem o discurso do presidente do partido, José Eduardo dos Santos, proferido na Assembleia Nacional sobre o Estado da Nação, como instrumento de estudo para melhor conhecimento dos feitos do Executivo.

A partidária baixou esta orientação durante o acto de massas realizado no largo das escolas, situado no distrito urbano da Maianga, para saudar a intervenção do líder do partido no poder em Angola.

Segundo a primeira secretária, os militantes devem utilizar como instrumento de estudo para poderem saber divulgar os feitos do Executivo para a comunidade tomar conhecimento dos esforços empreendidos para a elevação da qualidade de vida das populações, já que existem pessoas que insistem em não reconhecer os avanços a vista de todos os cidadãos.

Nesta ordem de ideia, disse, muitos projectos de âmbito social têm reflectido de forma positiva na vida das populações, com a entrada em serviço de mais hospitais com todas as condições necessárias para uma assistência de qualidade, escolas, estradas e centros infantis.

Joana Quintas pediu também aos militantes para se empenharem mais na preservação dos bens públicos para que os recursos financeiros sirvam para aplicar em outros programas de impacto social.

Explicou que o município de Luanda, pela sua localização geográfica, precisa de um redobrar de vigilância de todos os camaradas para a contínua preservação da paz, por ser o grande objectivo dos angolanos, apesar de alguns partidos da oposição incitarem para actos de desordem pública.

A primeira secretária apelou ainda para que os militantes sirvam de apoio aos órgãos de defesa nos distritos, para o reforço da segurança e tranquilidade nos bairros das suas zonas de residência. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA