Cuba: Oposição denuncia 708 detenções arbitrárias em Setembro

Manifestação de "Damas de Branco" (Foto: Javier Galeano/AP)
Manifestação de "Damas de Branco" (Foto: Javier Galeano/AP)
Manifestação de “Damas de Branco” (Foto: Javier Galeano/AP)

Pelo menos 708 detenções “arbitrárias” por motivos políticos foram registradas em Cuba em setembro, o maior número mensal em um ano e meio, o que reflete um “endurecimento” do governo, denunciou um grupo opositor.

“A Comissão Cubana dos Direitos Humanos e Reconciliação Nacional registrou pelo menos 708 casos de detenções arbitrárias por motivos políticos durante o mês de setembro”, afirma o relatório mensal do grupo, que é considerado ilegal mas tolerado pelo governo comunista.

“Documentamos o elevado número de detenções de dissidentes pacíficos, incluindo numerosas integrantes do movimento humanitário Damas de Branco”, criado em 2003 por esposas de presos políticos (já libertados), completa o documento.

O número de setembro é o maior desde março de 2012, quando a Comissão registrou 1.158 pessoas detidas por ocasião da visita do papa Bento XVI à ilha. (swissinfo.ch/AFP)

DEIXE UMA RESPOSTA