Comissão para Economia real aprecia projecto para cluster agro-industrial no Bengo

Vice Presidente Manuel Domingos Vicente Orienta Reuniao da Comissao para Economia Rea (ANGOP)
Vice Presidente Manuel Domingos Vicente Orienta Reuniao da Comissao para Economia Rea (ANGOP)
Vice Presidente Manuel Domingos Vicente Orienta Reuniao da Comissao para Economia Rea (ANGOP)

Um projecto para a construção de um Cluster Agro-industrial em Caxito, província do Bengo, no período 2013/2017, foi apreciado hoje (terça-feira), em Luanda, durante a 7ª reunião ordinária da Comissão do Conselho de Ministros para Economia Real, realizada sob a orientação do Vice-presidente da República, Manuel Vicente.

A informação foi prestada à imprensa, no final da reunião, pela ministra da Indústria, Bernarda da Silva, que disse tratar-se de uma concentração de empresas relacionadas entre si, conformando um pólo produtivo
especializado com vantagens competitivas.

Sobre a criação do cluster agro-industrial em Caxito, disse  a ministra que a região foi escolhida por reunir boas condições climáticas e de solos para a produção de produtos agrícolas em quantidade e qualidade considerável para abastecer a indústria nacional.

Ressaltou, também, o facto dos empresários que desenvolvem a actividade agrícola no Bengo apresentarem resultados animadores.

“Estamos a aprofundar os estudos e a preparar um plano de acção, para a criação desse cluster agro-industrial que, entre outros aspectos, vai contribuir no aumento da produção agrícola na região e melhorar o
abastecimento dos produtos cultivados para a indústria de transformação e o mercado consumidor”.

A ministra da Indústria informou que a criação de Cluster Agro-industrial, na provínci do Bengo, responde às exigências do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) 2013/2017.

Um cluster, no mundo da indústria, é uma concentração de empresas correlacionadas, numa zona geográfica relativamente definida, que conformam um pólo produtivo especializado com vantagens competitivas.

O conceito foi popularizado pelo economista norte-americano Michael Porter no ano 1990, no seu livro “As vantagens Competitivas das Nações”, pela importância da criação dos pólos no aproveitamento dos recursos económicos locais e na produção com vantagem comparativa, numa economia global. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA