Brasil: Copa tem 6 mi de pedidos de ingressos, mas não supera mundial da Alemanha

Procura por ingressos para Copa no Brasil não superou a da Alemanha (BBC)

O primeiro prazo para solicitar ingressos para a Copa do Mundo de 2014 acabou na manhã desta quinta-feira, e um total de 6.164.682 de pedidos foram registrados no site da Fifa, canal oficial de vendas.

Procura por ingressos para Copa no Brasil não superou a da Alemanha (BBC)
Procura por ingressos para Copa no Brasil não superou a da Alemanha (BBC)

O número é mais de seis vezes maior do que a quantidade de entradas diponíveis para compra nesta primeira fase – um milhão de ingressos foram colocados à venda entre os dias 20 de agosto e 10 de outubro -, mas ainda não bateu o recorde da Alemanha, em 2006, quando 8 milhões de solicitações foram registradas para o sorteio na primeira etapa de vendas.

Ainda assim, a Fifa considera que a procura para o Mundial no Brasil impressiona mais.

“Considero que aqui foi melhor porque na Alemanha começamos a etapa de vendas dois anos antes da Copa. E ficaram oito meses com o período de pedidos aberto no site, enquanto aqui foram apenas dois meses, depois da Copa das Confederações. Por isso, considero que foi melhor”, avaliou o diretor de marketing da entidade, Thierry Weil.

Segundo o consultor de marketing esportivo, Erich Beting, porém, a “derrota” do Brasil de 2014 para a Alemanha de 2006 tem algumas razões lógicas para acontecer – a localização geográfica estratégica dos germânicos, por exemplo -, mas, ao mesmo tempo, ela desmistifica algumas perspectivas falsas que se tinham da Copa em terras brasileiras.

“Acho que essa procura frusta um pouco quem tem a real certeza de que o Brasil é o país do futebol. O brasileiro mostrou que nao é tão fanático quanto se pensa. A procura aqui foi muito boa, mas ainda houve muitos jogos em muitos lugares com pouco interesse. Mostra que o brasileiro não é fanático pelo futebol como um todo, ele quer ver a seleção”, opinou o consultor, em entrevista à BBC Brasil.

Agora, a Fifa processará todos os pedidos juntos em um sorteio aleatório que definirá os contemplados com ingressos. Alguns jogos, no entanto, sequer precisarão desse procedimento. São os casos de Manaus e Cuiabá, que registraram um número de pedidos menor do que o de entradas disponíveis – sendo assim, quem escolheu essas partidas, já pode comemorar o ingresso garantido.

“Nesse esquema loteria, que você não sabe o jogo que vai ver, a procura é maior nas cidades maiores. Nas cidades mais distantes, como Cuiabá e Manaus, vai depender do sorteio, para saber se os estádios vão lotar. Se a Espanha for jogar em Manaus, aí a pessoa se programa para ir, se não, a tendência é que sobrem lugares vazios mesmo”, explicou Erich Beting.

O sorteio para definir os contemplados com ingressos acontecerá entre os dias 11 de outubro e 4 de novembro, quando a Fifa notificará todos os que se inscreveram no site solicitando entradas confirmando ou não a compra.

Para quem não conseguiu garantir o ingresso agora, a próxima etapa de vendas começará no dia 5 de novembro e irá até o dia 28 do mesmo mês, ainda sem que os adversários de cada jogo estejam definidos – isso acontecerá no sorteio dos grupos, marcado para o dia 6 de dezembro. Durante esse período, os pedidos serão atendidos por ordem de chegada.

Números

De acordo com a entidade máxima do futebol, os jogos mais “populares” entre os pedidos feitos nos últimos dois meses foram o de abertura (726.067 solicitações), que terá o Brasil em campo e está marcado para o dia 12 de junho, na Arena Corinthians, e a final (751.165), que acontecerá no Maracanã, dia 13 de julho.

Os jogos do Brasil na primeira fase também estão entre os mais procurados, e os ingressos mais requisitados entre os 6,2 milhões de pedidos foram os de categoria 4 – a mais barata -, que contempla assentos atrás do gol no alto e que é reservada apenas para brasileiros.

As partidas marcadas para São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, no geral, foram as que tiveram as mais altas demandas, se comparadas às outras cidades-sede, deixando clara uma concentração na procura por jogos que acontecerão no centro-sul do país.

As preteridas do público foram Manaus e Cuiabá. A distância dessas cidades dos grandes centros econômicos do país – São Paulo e Rio de Janeiro, principalmente – é um dos fatores que pode explicar a baixa demanda por lá. Além disso, Manaus e Cuiabá receberão quatro jogos cada, sendo todos eles de primeira fase e a maioria de pouco apelo – a Arena Amazônia receberá apenas um cabeça de chave, assim como a Arena Pantanal.

Para o consultor de marketing esportivo Erich Beting, essa baixa procura na região de Manaus e Cuiabá agora já pode sinalizar estádios “esvaziados” no Mundial do ano que vem.

“A procura abaixo do que e a capacidade do estádio em Manaus e Cuiabá para mim é preocupante, porque revela que a escolha dessas sedes talvez tenha sido equivocada. Não há uma cultura forte de futebol lá, então vai depender muito de que jogo vai ter lá para lotar o estádio. É possivel que haja estádio vazio na Copa”.

Americanos

Entre as nacionalidades que mais tentaram ingressos para a Copa do Mundo de 2014, os brasileiros, como já era esperado, dominam a lista, sendo responsáveis por mais de 70% dos pedidos feitos até agora (4.368.029).

Com a seleção dos Estados Unidos garantida no Mundial, os norte-americanos ocupam a vice-liderança na corrida por ingressos para o torneio, com 374.065 pedidos. A Argentina, outra que já está classificada para a Copa, também registrou uma alta procura (266.937) por entradas e ocupa o terceiro lugar do ranking de países, seguida por Alemanha (134.899), Chile (102.288), Inglaterra (96.780), Austrália (88.082), Japão (69.806), Colômbia (55.379) e Canadá (49.968).

A procura baixa por parte dos países europeus – somente Alemanha e Inglaterra apareceram entre os que mais solicitaram ingressos – também pode ser explicada pelo alto custo que a Copa terá para moradores dessas regiões.

“A Copa no Brasil vai ser muito cara pelos deslocamentos, pela hospedagem, e a Europa como um todo está em crise, tem menos dinheiro na mão do torcedor de fora. Em 2006, os europeus podiam pegar um trem e ir para um jogo na Alemanha e a economia europeia estava mais forte. A realidade agora é bem diferente”, analisou o consultor.

Ao todo, moradores de 203 países se inscreveram no site da Fifa para solicitar entradas para a Copa do ano que vem. (bbc.co.uk)

Por Renata Mendonça

DEIXE UMA RESPOSTA