BES: Prejuízos de 381 milhões de euros nos primeiros nove meses

Ricardo Salgado (Foto: D.R.)
Ricardo Salgado (Foto: D.R.)
Ricardo Salgado (Foto: D.R.)

Banco tem plano para cortar 200 postos de trabalho e fechar 50 balcões. Até Setembro saíram 94 pessoas

“Estamos a pagar impostos com prejuízos enormes.” Foi esta a reacção de Ricardo Salgado aos prejuízos de 381 milhões de euros registados pelo BES nos primeiros nove meses do ano, o que compara com um lucro de 90,4 milhões de euros conseguidos no mesmo período do ano anterior. A perda foi maior que o esperado pelos analistas, com a média das estimativas a apontar para um prejuízo de 310 milhões de euros.

A actividade doméstica continua a penalizar as contas do banco liderado por Ricardo Salgado. Entre Janeiro e Setembro, as operações domésticas representaram um prejuízo de 411,9 milhões de euros. Já a actividade internacional teve um lucro de 30,9 milhões de euros, ainda assim uma descida de 66,3% face ao período homólogo. O banco alienou entre Janeiro e Setembro 2277 imóveis, mais 79% que no mesmo período do ano passado, o que resultou num encaixe de 293 milhões de euros face ao objectivo de 400 milhões de euros para o total do ano. Em comunicado, o banco referiu que “a execução do programa de assistência económica e financeira tem tido repercussões no número de insolvências das empresas e no aumento do desemprego com impactos relevantes no desempenho do sector financeiro português e também no Grupo BES”.

Nos primeiros nove meses do ano, o banco teve de reforçar as provisões em 1068,7 milhões de euros, uma subida de 42,1% em relação ao ano anterior. No entanto, o BES sublinhou que as provisões no terceiro trimestre recuaram em relação ao segundo trimestre. Tanto o crédito vencido como o crédito em risco aumentaram em relação a Setembro de 2012. O crédito vencido subiu de 3,8% para 5,6%, enquanto o crédito em risco aumentou de 9,3% para 11,3%. As acções do BES desceram ontem 2,58%, para 0,91 euros.

PREJUÍZOS SURPREENDENTES E CORTES Já no primeiro trimestre o BES surpreendeu o mercado com um resultado líquido negativo de 62 milhões, com os lucros pressionados pelas provisões para crédito e pelo recuo das receitas. Um resultado que comparou com os lucros de 11,6 milhões de euros obtidos no período homólogo. Três meses depois, o BES voltou a reportar perdas de 237,4 milhões de euros no primeiro semestre do ano, contra um lucro de 25,5 milhões no período homólogo de 2012. Em face destes resultados negativos, o BES decretou um programa de austeridade interna, que passará pela redução de 200 postos de trabalho, pelo fecho de quase 50 balcões e pelo corte nos benefícios dos trabalhadores com o objectivo de superar os prejuízos. Até Setembro, o banco já tinha cortado 94 postos de trabalho em Portugal.

Apesar dos resultados negativos verificados nos primeiros nove meses do ano, Ricardo Salgado pensa que 2014 será o ano de viragem para o BES. (ionline.pt/com Lusa)

Por António Ribeiro Ferreira

DEIXE UMA RESPOSTA