Argélia: Governo “compreende” motivações da recusa saudita de integrar CS

Bandeira da Arábia Saudita (Foto: ANGOP)
Bandeira da Arábia Saudita (Foto: ANGOP)
Bandeira da Arábia Saudita (Foto: ANGOP)

A Argélia “compreende as motivações” da Arábia Saudita que recusou de entrar no Conselho de Segurança (CS) da ONU para denunciar “impotência” desta instância, em particular face aos conflitos sírio, indicou hoje (segunda-feira) o chefe da diplomacia argelina, Ramtane Lamamra.

“Respeitamos esta decisão e nós compreendemos as motivações evocadas oficialmente pela” Arábia Saudita, disse Ramtane Lamamra, durante uma conferência de imprensa conjunta em Argel com o seu homólogo burkinabe Djibril Bassolé.

Acrescentou que “é uma decisão inédita que inspira a reflexão de todos,particularmente dos membros do Conselho de Segurança”.

Sublinhou que tem que se reflectir para saber quando e como o CS falhou no cumprimento dos seus deveres ao ponto de levar um dos seus membros eleitos se recusar a ocupar a vaga, estima o ministro argelino.

Precisou que o seu país milita a favor da reforma do Conselho de Segurança que deve ser, segundo Argel, “autenticamente representativo” da vontade da comunidade internacional.

Ryad recusou sexta-feira  de entrar no Conselho de Segurança, um acto sem precedente visando protestar contra a “impotência” desta instância, em particular de enfrentar ao drama sírio.

O Conselho, que conta com 15 membros, sendo cinco permanentes e 10 não permanentes, sobre uma base regional.

Se Arábia Saudita manter a sua decisão, caberá ao grupo árabe no seio da Assembleia Geral de encontrar um novo candidato que será aprovado pelo conjunto da assembleia.

O chefe da Liga Árabe, Nabil al-Arabi, tinha indicado domingo apoiar a recusa de Ryad de ocupar assento no Conselho de Segurança, acusando de instituições de não ter  “nunca” assumido as suas responsabilidades  face aos países árabes. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA