Angola pode aumentar protagonismo na resolução de questões em África e no mundo

vice-presidente do governo da Federação da Rússia, Dmitry Rogozin (ANGOP)
vice-presidente do governo da Federação da Rússia, Dmitry Rogozin (ANGOP)
vice-presidente do governo da Federação da Rússia, Dmitry Rogozin (ANGOP)

A República de Angola pode ser um jogador muito importante e aumentar o seu protagonismo na resolução de questões do continente africano e não só, considerou hoje, terça-feira, em Luanda, o vice-presidente do governo da Federação Russa, Dmitri Rogozin.

Falando em conferência de imprensa, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, no término de uma visita de três dias ao país, o governante disse que Angola é uma nação estável, em crescimento e com boas perspectivas para o futuro, embora na sua vizinhança ainda se regista algum clima de instabilidade (norte da RD Congo).

Frisou que a Rússia está disposta a prestar apoio ao país africano nos mais variados domínios, entre os quais o da defesa e segurança, para que Angola possa manter a sua estabilidade e segurança do seu povo.

Na abertura das conversações oficiais das delegações dos dois países, o governante russo já havia manifestado que a Rússia está satisfeita com o nível de consultas entre os dois Estados e da compreensão dos assuntos de política internacional.

Dmitri Rogozin disse ainda que o seu país aprecia a posição de Angola em assuntos de grande importância da arena internacional, como a situação na Síria.

Sobre a sua visita ao país, Dmitri Rogozin explicou que a mesma foi preparada durante muito tempo e com muito cuidado, “os nossos parceiros angolanos várias vezes visitaram Moscovo, tivemos várias rondas de consultas, desenvolvemos uma acção considerável para elaboração de uma série de acordos destinados a promover integralmente as nossas relações”, disse.

Esses acordos, enfatizou, centram-se em áreas como o da energia, indústria, criação dos centros de assistência técnica, formação de quadros especializados em Angola e muitos outros.

Considerou a sua visita de proveitosa e eficaz, tendo sido assinados acordos nos sectores da saúde e cultura, estando em vias de ser assinado outro no domínio das pescas.

O vice-presidente do governo da Federação Russa chegou na noite de domingo a Luanda, no âmbito de uma visita oficial de 72 horas à República de Angola, visando o reforço da cooperação bilateral em vários domínios.

As conversações oficiais entre as delegações de Angola e Rússia realizaram-se na segunda-feira,  no Palácio  Presidencial na  Cidade Alta, e no mesmo dia foram rubricados Acordos Bilaterais nos domínios da Saúde e da Cultura.

A delegação russa teve ainda encontros de trabalho com uma delegação militar angolana chefiada pelo Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, General Manuel Hélder Vieira Dias “Kopelipa” e com o ministro das Relações Exteriores, Georges Rebelo Pinto Chikoti.

A delegação russa integrou ainda o ministro dos Recursos Naturais e Ecologia e Presidente da Comissão Intergovernamental Russo-Angolana para Cooperação Económica, Técnico-científica e Comercial, S. Donskoi, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, M. Bogdanov, o vice-ministro da Indústria e Comércio, G. Kalamanov.

O vice-ministro dos Assuntos Interiores, S. Gerassimov, o embaixador da Federação Russa em Angola, D. Lobach, além de altos funcionários dos Ministérios dos Negócios Estrangeiros, da Defesa, da Saúde, do Banco VTB, bem como da Duma de Estado (a Câmara Baixa) da Assembleia Federal da Federação Russa, fizeram igualmente parte da delegação visitante.

As relações de amizade e cooperação entre a República de Angola e a Federação Russa (antiga URSS) remontam da Luta de Libertação Nacional, cujo marco deste relacionamento data de 1976, altura em que os dois países assinaram o Tratado de Amizade e Cooperação, movidos pelos tradicionais sentimentos de Amizade, Cooperação e Solidariedade. (portalango.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA