Prémio Nobel: Medicina para dois americanos e um alemão

(Fotografia © Reuters)
(Fotografia © Reuters)
(Fotografia © Reuters)

Os americanos James Rothman, Randy Schekman e o alemão Thomas Südhof são os galardoados deste ano com o Nobel da Medicin.

Os três foram premiados pelas suas descobertas sobre o sistema de transporte no interior da célula, para que “as moléculas sejam levadas ao sítio certo dentro da célula no momento certo”, segundo o comité Nobel.

A edição de 2013 dos prémios Nobel, que celebram 112 anos de existência, arrancou hoje com a divulgação do galardão para a área da Medicina.

Na terça-feira, será a vez do prémio para a área da Física, seguindo-se o galardão da Química (dia 09), Paz (dia 11) e Economia (dia 14), de acordo com o calendário oficial divulgado pela organização.

Cumprindo com a tradição, a academia sueca ainda não estabeleceu uma data concreta para o anúncio do Nobel da Literatura.

Os galardões que geram mais especulação continuam a ser o Nobel da Paz e da Literatura.

O Comité Nobel norueguês, que atribui o Nobel da Paz em Oslo, confirmou que recebeu este ano um número recorde de candidaturas, 259.

O montante dos prémios foi fixado em 2012 em oito milhões de coroas suecas (cerca de 930.000 euros).

Os laureados irão receber os respetivos prémios em cerimónias oficiais em Estocolmo e em Oslo no dia 10 de dezembro, dia do aniversário da morte do fundador do galardão, Alfred Nobel, em 1896.

Os prémios Nobel nasceram da vontade do químico, engenheiro e industrial sueco Alfred Nobel (1833-1896) em doar a sua imensa fortuna para o reconhecimento de personalidades que prestassem serviços à humanidade.

O inventor da dinamite expôs este desejo num testamento redigido em Paris em 1895, um ano antes da sua morte.

Os prémios foram atribuídos pela primeira vez em 1901.

Nos últimos 111 anos, os galardões distinguiram 838 pessoas (44 mulheres e 794 homens), com uma média de idade de 59 anos, e 24 organizações. (dn.pt)

Por Lusa

DEIXE UMA RESPOSTA