Recandidatura de José Maria Neves à liderança do PAICV é a única entregue

ng1446320O mandatário da candidatura de José Maria Neves à liderança do PAICV entregou hoje o respetivo dossiê ao Conselho Nacional de Jurisdição e Fiscalização (CNJF) no último dia do prazo estabelecido para a respetiva formalização.

Citado pela agência Inforpress, o mandatário Rui Semedo, igualmente ministro dos Assuntos Parlamentares cabo-verdiano, indicou que o dossiê, subscrito por mais de 2.600 militantes, responde a todas as exigências impostas pelos estatutos e regulamentos do partido sobre eleições internas.

Os estatutos do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, no poder desde 2001), segundo o mandatário, impõem que as candidaturas à presidência do partido devam ser subscritas por um mínimo de 300 militantes distribuídos por dois terços dos setores.

Com as eleições diretas marcadas para 10 de março, a candidatura de José Maria Neves à sua própria sucessão, prosseguiu, conseguiu apresentar 2.600 assinaturas de militantes de todas as ilhas e da diáspora.

Sexta-feira, numa conferência de imprensa em que anunciou a candidatura, José Maria Neves lembrou que dirige o partido desde 2000 e que tenciona abandonar a liderança do PAICV antes das eleições legislativas de 2016, indicando que, caso saia vencedor, não tenciona também manter-se como primeiro-ministro.

A data limite para a formalização das candidaturas por parte dos militantes interessados em chefiar o PAICV, definida pelo Conselho Nacional de Jurisdição e Fiscalização (CNJF) do partido, termina hoje às 18:00 locais (19:00 em Lisboa).

Segundo o presidente da CNJF, Lívio Lopes, até agora, ninguém além de José Maria Neves se apresentou como candidato.

O Conselho, explicou, tem 48 horas para analisar os processos e comunicar às candidaturas sobre a sua aceitação ou não. (lusa.pt)

DEIXE UMA RESPOSTA