Ramos-Horta apresenta hoje aos líderes da África Ocidental ideias para resolver crise na Guiné-Bissau

rhortaO representante especial do Secretário-Geral das Nações Unidas em Bissau, José Ramos-Horta, vai apresentar nesta quarta-feira aos chefes de Estado dos países da África Ocidental as ideias que defende para a resolução da crise na Guiné-Bissau.

Ramos-Horta participa na cimeira de chefes de Estado da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) que decorre na quarta e na quinta-feira em Yamoussoukro (Costa do Marfim), para a qual foi convidado pelo Presidente da Nigéria.

Ramos-Horta reuniu-se com o Presidente nigeriano em Abuja, na segunda-feira, a quem manifestou a intenção de trabalhar “em estreita colaboração” com a CEDEAO, em parceria com outras organizações internacionais como a União Africana, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a União Europeia, para ajudar a Guiné-Bissau a alcançar uma paz duradoura.

Segundo um comunicado do Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS), Jonathan convidou Ramos-Horta para participar na cimeira ordinária da CEDEAO da Costa do Marfim, que na quarta e na quinta-feira vai discutir a questão da Guiné-Bissau e do Mali.

De acordo com a imprensa, Goodluck Jonathan afirmou a Ramos-Horta o envolvimento da Nigéria na resolução da crise na Guiné-Bissau, sob a égide da CEDEAO e da ONU.

“Comprometemo-nos a resolver esta crise, por conseguinte vamos trabalhar convosco sob a égide da CEDEAO a fim de restabelecer a paz e a democracia na Guiné-Bissau”, disse o Presidente nigeriano a Ramos-Horta.

Ramos-Horta, prémio Nobel da Paz e ex-Presidente de Timor-Leste, está em Bissau desde dia 13 para chefiar o UNIOGBIS.

(lusa.pt)

DEIXE UMA RESPOSTA