Militares assumem lealdade ao governo mas não serão “instrumento de repressão sobre os concidadãos”

loureiro-dos-santosConselho de Chefes de Estado-Maior (CCEM) assumiu hoje lealdade perante o Governo na reforma das Forças Armadas e comprometeu-se a defender a “serenidade, a coesão e a disciplina” no setor.

Em comunicado, o CCEM frisa que os chefes militares comprometem-se a continuar “com lealdade e frontalidade, perante a tutela política e os seus subordinados, os trabalhos de adequação das estruturas e das capacidades das Forças Armadas à realidade do ambiente estratégico prevalecente e previsível, tendo sempre presentes o moral das pessoas e a indispensável garantia de prontidão das Forças Armadas”.

A nota assinala que os quatro chefes militares, “de forma responsável e solidária, continuarão a pugnar para que as Forças Armadas mantenham a serenidade, a coesão e a disciplina, condições essenciais ao seu funcionamento”.

O comunicado reforça que os chefes militares “têm desenvolvido e apresentado, no quadro das orientações políticas emanadas, os trabalhos para a transformação coerente das Forças Armadas, preservando os valores e os princípios incontornáveis da organização militar, designadamente no quadro do Ciclo de Planeamento Estratégico de Defesa Nacional, em curso”.

O CCEM reitera a confiança nos militares e na “sua atitude de dedicação e rigor no cumprimento, com qualidade e segurança, das missões atribuídas às Forças Armadas”. Ler mais

(ionline.pt)

DEIXE UMA RESPOSTA