Luanda é a província que menos fez para combater pobreza, afirma ministra do Comércio

188248216Luanda é a província do país que menos programas implementou para o combate à pobreza, disse hoje a ministra do Comércio, Rosa Pacavira, no 4º Encontro Nacional de Balanço do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento e Combate à Pobreza (PMIDCP), que desde sexta- feira decorre no Wako Kungo, província do Kwanza Sul.

Segundo a ministra, comparando as acções desenvolvidas por outras 17 províncias do país, no âmbito do combate à pobreza, a província de Luanda fez menos.

Em reacção às declarações de Rosa Pacavira, o administrador do município de Viana, José Moreno, disse que, no quadro do combate à pobreza, estão a reabilitar escolas e salas de aulas e edificar novas salas para permitir o ingresso de mais crianças no sistema de ensino.

A nível da saúde, disse, Viana tem serviços municipalizados da saúde que permitem o reforço da oferta e a melhoria das infra-estruturas da saúde e da sua manutenção.

Essas acções, segundo José Moreno, têm permitido evitar as roturas diversas em termos logísticos, que os centros viviam.

Relativamente ao município do Cazenga, o administrador Nataniel Narciso, informou que cumpriram a 100 porcento o programa que estava previsto para o combate à pobreza, a nível da circunscrição.

O programa, disse o administrador, consistia na construção de cozinhas comunitárias reabilitação de escolas, quadras desportivas, balneários, limpeza das valas de drenagem, apetrechamento de Cic-cec e apetrechamento de escolas e salas com materiais escolares.

“Isso reflecte-se em 79 salas de aulas reparadas, oito salas de aulas novas, três escolas com 10 salas de aulas, a pintura de todos os centros médicos, construção de duas quadras desportivas, construção de duas lavandarias comunitárias , dois balneários públicos e a construção de 32 cozinha comunitárias “, citou.

Na sua opinião, as afirmações da ministra devem ter tido em conta dados no geral, pois ela fez referência ao não pagamento dos kits escolares. “E quanto a isso devo dizer que alguns de nós teve dificuldades em pagar porque o sistema não permitiu”, esclareceu.

“Começamos a pagar os kits escolares mas não concluímos, porque tínhamos que continuar a financiar com as verbas do combate a pobreza e não de outros fundos. Sobre as cozinhas comunitárias que não tivemos acesso mandámo-las construir”, disse.

“É bem possível que a senhora ministra tenha falado no geral”, reiterou, acrescentando que fizeram um balanço do combate à pobreza a nível da comissão provincial de Luanda e apresentaram todos os dados . “Alguma coisa não funcionou em termos de dados talvez os dados da província de Luanda não tenham chegados à ministra”.

O OGE para 2012 afectou a cada município de Luanda uma verba avaliada em 280 milhões de kwanzas.

(portalangop.co.ao)

1 COMENTÁRIO

  1. Estou certo que a senhora Ministra fez uma analise realista tendo em conta aos dados disponiveis, e mesmo se ouve omissão de dados por parte do governo provincial, a situação torna-se mais grave por não respeito da prestação de contas nos periodos estipulados. tenho dito.
    fernando santos malanje

DEIXE UMA RESPOSTA