Girabola 2013: Reforços justificam aposta e 1º de Agosto vence na estreia

Adeptos-do-1º-de-Agosto-300x199Os congolêses democráticos Kabamba e Matumona foram determinante na vitória do 1º de Agosto esta terça-feira, por 3-0, sobre o Recreativo da Caála, em jogo da jornada inaugural do campeonato nacional de futebol da primeira divisão.

Numa partida antecipada da primeira ronda do Girabola devido ao envolvimento dos dois conjuntos nas Afrotaças, os “rubro-negros” foram claramente superiores, apesar da mediana exibição. De facto, a expressão do marcador indica mais a fragilidade dos visitantes, que desceram do planalto a Luanda de “peito aberto”.

A ousadia da turma comandada pelo português Ricardo Formosinho foi “punida” com a inspiração dos “reforços” do 1º de Agosto, que tal como no jogo das afrotaças, foram responsáveis pelos golos.

Efectivamente, o atacante Kabamba e o médio Matumona assumiram as despesas aos 8, 67 e 69 minutos, num jogo que não contou com peças influentes como Mingo Bille (suspenso) e Dany Massunguna (adoentado).

Com o estádio 11 de Novembro em Luanda “vestido” de vermelho e preto, com cerca de sete mil pessoas, a partida começou com um sinal de “intimidação” da Caála, que aos dois minutos, por Dudú, rematou na área cruzado mas ao lado.

Em resposta, aos oito minutos uma iniciativa do capitão Caly, qual avançado, arrancou do seu sector e com triangulações, só foi parada em falta à entrada da área.

Manucho Dinis cobrou o livre e Kabamba antecipou-se aos defesas e guarda-redes, cabeceando com êxito.

O 1º de Agosto continuou a pressionar, mas sempre encontrou a réplica como foi aos 18 minuto quando Hugo foi chamado a intervir ante investida perigosa.

A equipa do Huambo foi crescendo e aos 25 minutos já tinha remetido o 1º de Agosto ao seu reduto. Mas em contra-ataque, o Zola Matumona, o jogador mais aplaudido da tarde esgueirou-se e rematou de pé esquerdo para as malhas laterais da baliza contrária. Até ao intervalo, assistiu-se uma Caála muito esforçada mas sem sucesso, face a concentração da defesa “militar” comandada por Kaly.

A segunda parte começou com a primeira, com o recém-entrado Edson a rematar com perigo mas ao lado da baliza de Hugo.

A Caála continuou a acreditar e a jogar aberto e isso criou certa ansiedade nas hostes “Rio Seco” pois tardava o golo da tranquilidade. Sequência de cartões amarelos marcou a fase menos interessante do encontro até que, aos 67 minutos, Matumona volta a aparecer e de livre directo faz 2-0. O internacional congolês beneficiou de uma tabelinha da barreira desviou a bola do alcance de Lokwá.

A claque rubro-negra reanimou-se e antes mesmo de retornarem a calma já Kabamba tinha marcado o seu segundo e o terceiro da partida. De pé esquerdo na área, o já melhor marcador da prova aproveitou um ressalto de bola na sequência de um pontapé de canto. Estes golos de “rajada” deitaram abaixo a resistência caalense.

Ainda assim, aos 75 minutos, a concentração de Hugo evitou o golo de honra dos visitantes. Até ao final, ainda houve um remate perigoso de Matumona que o guarda-redes do Recreativo defendeu para canto.

Estava assegurada a entrada com pé direito, apesar de ficar evidente que ainda Romeu Filemon e Ivo Traça ainda têm muito que trabalhar para estarem ao nível os seus principais opositores, que na Supertaça mostraram maior desenvoltura.

Estes dois conjuntos vão no fim-de-semana disputar a segunda mão das preliminares da taça CAF. O 1º de Agosto desloca-se ao reduto do Adema do Madagáscar para defender a vantagem de 4-2 conseguida no primeiro jogo.

O Recreativo da Caála por seu turno vai tentar reverter, no seu campo, um desfavorável 0-1 trazido da casa do Power Dynamos da Zâmbia.

(portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA