Corredor do Lobito: Países reforçam cooperação com criação de agência

ComboioA criação de uma Agência para a Facilitação do Transporte de Trânsito (TTFA, na sigla em inglês), com sede na cidade do Lobito, foi a grande novidade da reunião ministerial sobre o desenvolvimento do Corredor do Lobito, que decorreu entre 12 e 16 de Fevereiro, naquela cidade comercial da província de Benguela.

A TTFA irá assegurar a disponibilidade do Corredor do Lobito aos importadores e exportadores do interior da República Democrática do Congo (RDC) e da Zâmbia, como suplemento eficiente e económico a outras rotas comerciais existentes na região austral.

O Novo Jornal teve acesso ao princípio de acordo que foi estabelecido, embora o documento ainda não tenha sido assinado pelos ministros dos Transportes de Angola, Zâmbia e RDC.

A criação da agência, que não foi abordada junto da comunicação social, foi discutida pelas delegações dos diferentes países à margem dos trabalhos oficiais.

O documento salienta que o Corredor do Lobito deverá exercer um papel “particularmente activo na comercialização”, de forma a promover a sua utilização e “melhorar os níveis de tráfego internacional e doméstico”.

Para além de apoiar as operações comerciais dos Estados membros através da recolha, processamento e disseminação proactiva de dados referentes ao tráfego, a agência deverá criar condições para analisar outros corredores concorrentes e produzir informação comercial.

Segundo o protocolo, a TTFA terá também a tarefa de encorajar a redução dos custos associados ao movimento de carga e passageiros ao longo do corredor, incluindo inspecções conjuntas simplificadas e controladas ao longo do corredor e fronteiras terrestre e portos de mar.

O acordo estabelece ainda a facilitação da operação do tráfego entre os países proporcionando instalações de escala, que incluem armazéns, espaços para carga, descarga, com recurso ao sector privado no sentido destes disponibilizarem terminais para atender a demanda dos clientes.

Hortêncio Sebastião, no Lobito (Novo Jornal)

 

DEIXE UMA RESPOSTA