Ler Agora:
Membro do Comité Permanente da Unita desvincula-se
Artigo completo 3 minutos de leitura

Membro do Comité Permanente da Unita desvincula-se

O membro do Comité Permanente da Comissão Política da Unita João Baptista Tchindandi apresentou publicamente hoje (quarta-feira), em Luanda, a sua desvinculação deste partido, após 38 anos de militância.

O general reformado anunciou que vai filiar-se ao MPLA por não concordar com a forma como é conduzida a política da Unita, bem como o tratamento dado aos membros e militantes.

João Baptista Tchindandi foi governador do Kuando Kubango pela Unita, no período do Governo de Unidade e Reconciliação Nacional (GURN).

Afirmou que a sua decisão resultou de uma reflexão profunda, pois a “desintegração da Unita está a vista de todos os cidadãos honestos e esclarecidos”.

Informou que no dia 13 de Maio deste ano dirigiu uma carta ao presidente da Unita, Isaías Samakuva, na qual expressou a cessação da sua militância.

“Não me revejo na forma como o partido está a ser conduzido e, mais do que isso, nem como são tratados os quadros, sobretudo quando ganham algum protagonismo na sociedade pelo seu próprio mérito”, acrescentou.

João Baptista Tchindandi lembrou que na preparação das primeiras eleições de Angola, em 1992, quadros históricos abandonaram a Unita, situação semelhante aconteceu em 2008, com 16 deputados, entre outros membros activos da organização.

Durante a preparação deste pleito, afirmou, a direcção hostilizou, humilhou e espancou quadros destacados que hoje constituem uma oposição.

Para mim, enfatizou o responsável, a Unita tornou-se numa sigla a volta da qual um grupo de oportunistas não aceita o diálogo, viola os princípios de alternância da presidência, não faz prestações de contas sobre as quotas dos militantes e que não tem noção de governação.

“Assim, usando da humildade e frontalidade que me caracterizam, afirmo sem receio de errar que a minha saída da Unita será minimizada por aqueles que pensam que esta pode continuar com a sua marcha turbulenta e que quem quiser sair, sai, conforme defendem alguns ex-companheiros de caminhada”, afirmou.

Por outro lado, anunciou que se revê no programa de sociedade do partido MPLA porque, apesar de haver ainda muito por se fazer para se ultrapassar as dificuldades diárias da população, esta organização não se desviou do princípio segundo o qual “o mais importante é resolver os problemas do povo”.

Contrariamente ao MPLA, frisou, a Unita de hoje desvinculou-se totalmente e o projecto de Muangai não passa de um preceito enganoso e demagógico.

Anunciou que no processo eleitoral, que culminará com as eleições gerais de 31 de Agosto próximo, fará campanha a favor do MPLA, argumentando aos jovens, e não só, os motivos para votar na continuidade governativa.

Tendo ingressado na Unita em 1974, com 25 anos de idade, João Baptista Tchindandi foi secretário provincial da Unita no Kuando Kubango, coordenador político e administrativo da Zona Norte, que respondia pelas operações nas províncias do Uíge, Zaire, Bengo e do Kwanza Sul.

FONTE: Angop

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »