Ler Agora:
FMI prevê que PIB em Angola crescerá 6,8% este ano
Artigo completo 3 minutos de leitura

FMI prevê que PIB em Angola crescerá 6,8% este ano

O Fundo Monetário Internacional (FMI) está menos optimista relativamente à evolução económica mundial, tendo revisto em baixa as previsões para o crescimento económico para 2012 e 2013. Para o FMI, o Produto Interno Bruto (PIB) angolano deverá crescer 6,8% este ano, valor inferior aos 9,7% estimados anteriormente. Para 2013 as estimativas apontam uma evolução económica de 5%. A entidade salienta que a situação orçamental angolana continua a melhorar, que as reservas em moeda estrangeira foram reconstituídas, e que a inflação se mantém em trajectória descendente. O FMI refere ainda que, em termos de investimentos públicos, os sectores de energia, transportes e construção deverão sentir um impulso maior por parte do Estado. Porém, alertou que, embora as previsões de crescimento sejam favoráveis, o país continua vulnerável a choques nas receitas petrolíferas.

O preço do petróleo tem impacto directo na evolução económica de Angola pelo facto de ser a principal fonte de receitas do país. O Orçamento Geral do Estado (OGE 2012) contempla um preço de referência para o petróleo de USD 77/barril. Porém, a evolução do preço da matéria-prima poderá ditar o desempenho das reservas internacionais em moeda estrangeira, bem como ter impacto no crescimento económico do país.

Actualmente, os preços do petróleo (WTI, referência norte-americana e do Brent, referência de Londres) situam-se em torno de USD 88, e USD 104/barril respectivamente.

No relatório World Economic Outlook de Julho, o FMI reviu em baixa o crescimento da Africa Subsariana para 5,3% este ano (vs. 5,4% previstos em Abril). Para 2013, a entidade estima que o PIB volte a crescer cerca de 5,3%. O FMI destaca o facto de África ter poucos laços financeiros à Europa (epicentro da turbulência financeira), e o facto dos países da região terem conseguido diversificar a sua base de destino das suas exportações como principais factores para que a região suporte de forma mais eficiente os efeitos do choque externo.

Para a economia global, a taxa de crescimento foi revista em baixa para 3.5% este ano (vs. 3.6% estimados anteriormente), e 3.9% em 2013 (vs.

4.1% previstos anteriormente). Para a Zona Euro, as previsões apontam para uma recessão económica de 0.3%, e um crescimento de 0.7% em 2013 (vs. 0.9% estimados anteriormente). Finalmente, o FMI reviu em baixa as previsões para o crescimento económico na China (actualmente o principal destino das exportações angolanas, com peso de cerca de 40%), para 8% em 2012 (vs. 8,2 previstos anteriormente) e 8,5% em 2013 (vs.8,8% previstos anteriormente).

FONTE: O País

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »