UNITA da Huíla acusa polícia de parcialidade

Unita acusa a polícia nacional de parcialidade
Unita acusa a polícia nacional de parcialidade

“É provável que alguém de forma pessoal pode proferir determinados pronunciamentos na sua área de jurisdição que não são uma orientação superior”

A UNITA na Huíla acusa a polícia nacional de ignorar queixas suas sobre acções de intolerância política, afirmando que esta atitutde é particularmente aguda nas zonas do interior.

Um porta-voz da polícia disse que embora possa haver acções individuais de agentes da corporação que atentem contra  a sua imparciliadade isso nnão obedece a quaisquer instruções do comando policial.

Segundo a secretária provincial da UNITA, na Huíla, Amélia Judite,  a polícia nacional tem tido dois comportamentos.

No Lubango a corporação mostra-se mais profissional, mas em algumas zonas do interior dá sinais de um órgão partidarizado.

Para Amélia Judite, é visível que alguns elementos afectos a corporação em pleno exercício de funções, não conseguem esconder a sua inclinação ao partido no poder.

“Nós tivemos o caso concreto do município da Jamba em que o comandante municipal da polícia não se portou como se fosse alguém que tem de pautar por salvaguardar a própria lei, também tivemos o caso concreto do município da Cacula em que um investigador foi á instituição da UNITA para pedir que esta mandasse retirar a bandeira numa determinada localidade,” disse

A polícia na Huíla não desmente nem confirma comportamentos de seus efectivos que tenham afectado a actividade político-partidária da UNITA, mas refere nunca ter recebido nenhuma denúncia do galo negro.

O porta-voz em exercício do comando da Huíla da polícia nacional, inspector-chefe, Eduardo Miguel Pintal, lembrou que a corporação procura exercer funções no âmbito das suas atribuições.

“ O objectivo central da polícia nacional é manter a paz e a estabilidade nas comunidades,” disse.

“É provável que alguém de forma pessoal pode proferir determinados pronunciamentos na sua área de jurisdição que não são uma orientação superior de um determinado comando provincial, portanto, não há instruções nem orientações para matérias desta natureza,” acrescentou.

 

Por Teodoro Albano | Lubango

Fonte: VOA

Foto: ASSOCIATED PRESS

DEIXE UMA RESPOSTA