Três novas unidades melhoram acomodação

Novas unidades hoteleiras estão a surgir em Ndalatando e também nos municípios
Novas unidades hoteleiras estão a surgir em Ndalatando e também nos municípios

A capacidade de hospedagem na cidade de Ndalatando, província do Kwanza – Norte, vai aumentar já a partir do próximo ano, a julgar pela previsão de inauguração de três hotéis, de quatro e três estrelas, bem como do hotel Porcelana e a antiga pensão residencial Chic.
Os mesmos vão atenuar a procura de lugares nas unidades já em funcionamento na urbe, oferecendo maior comodidade aos hóspedes, sobretudo homens de negócios e viajantes que todos os dias visitam a região.
Segundo declarações recentes da titular provincial da pasta do Comércio, Turismo e Hotelaria, Maria Garrido, o funcionamento dos novos hotéis vai também originar novos postos de trabalho para a juventude. Disse esperar pela colaboração de todos os agentes dos ramos de hotelaria e turismo para a inserção dos jovens na actividade laboral.
A directora provincial do Comércio, Turismo e Hotelaria incentivou, por outro lado, os investidores locais a apostarem na criação de uma agência de viagens, por formas a facilitar a vida de quem vive no Kwanza-Norte e deseja viajar para outras províncias ou mesmo fora do país.
Para ela seria muito mais fácil tratar de toda a documentação, como vistos e outros, localmente, evitando os transtornos da grande cidade, como é o caso de Luanda. “A pessoa poderia tratar toda a documentação aqui e seguir para Luanda apenas na altura da partida. Penso que assim, evitaríamos a perca de tempo que tem sido a tónica do processo em Luanda”.
A província do Kwanza-Norte tem disponíveis aproximadamente 350 quartos existentes no hotel Miradouro e em pensões e hospedarias. Deste número, 99 quartos estão em estabelecimentos da capital, Ndalatando.
Estes números são considerados, por muitos, bastante limitados, a julgar pela procura que nos últimos tempos se faz sentir um pouco por toda a região.

Para alguns a cidade de Ndalatando é um mercado muito visitado nos últimos tempos, não só pelas potencialidades turísticas e económicas, mas também por ser um ponto de passagem obrigatória para quem viaja de carro para as províncias de Malanje, Lundas Norte e Sul.
Para a estudante da Escola Superior Pedagógica do Kwanza-Norte, Eugénia de Fátima, há cada vez mais pessoas que querem vir investir nesta província, devido a abertura que o governo dá aos empresários.
A estudante e também funcionária pública acredita que, tão logo estejam concluídas as obras nos diferentes hotéis e pensões da província, as coisas mudarão, em termos de acolhimento.
O professor do ensino médio, Manuel do Rosário, frisa que, com o aumento da cifra de quartos até o final do ano, Kwanza-Norte (e em particular a cidade de Ndalatando) vai satisfazer a procura dos visitantes e turistas e a província passará a ser mais visitada por gente de outros pontos do país e até do mundo.
O hotel Porcelana, a ser inaugurado nos próximos dias, está localizado na rua direita Luanda/Malange e terá capacidade de 29 suites, dois restaurantes, sendo um na parte de baixo e outro do tipo panorâmico no terraço. Além da recepção, o estabelecimento conta igualmente com a copa, cozinha e casas de banho.
Por outro lado, o hotel Miradouro, com categoria de três estrelas, está à disposição dos hóspedes há sensivelmente três anos, com 39 quartos, para além de uma suite presidencial. O edifício, para além do restaurante, reserva, por outro lado, sala de conferência com capacidade para acolher 110 pessoas, sala de negócios e de jogos, Ciber café, piscina, ginásio e salão de cabeleireiro.
Em Ndalatando temos ainda as pensões Futa e Magama e Filhos.
Para o atendimento de refeições muitos preferem os restaurantes do hotel Miradouro e da dona Fernanda. O restaurante Oásis, também conhecido por Julito, um dos mais antigos da cidade de Ndalatando, reentrou nestes serviços após ser reinaugurado no dia 4 de Novembro.
O Cantinho da Chamy e outros pequenos lugares similares espalhados um pouco pela cidade e bairros servem também refeições.
Em Cambambe as unidades hoteleiras mais procuradas são o Katita Palace, que fica perto da fábrica Eka, e a pousada da central eléctrica de Cambambe. Outras pequenas unidades proliferam por toda a cidade do Dondo e do Alto Fina.
No município de Ambaca temos os hotéis GMAC e PifPaf. Este último é um imponente edifício, mas com poucos serviços. Apenas funcionam os serviços de hospedagem.
Em Lucala existem duas unidades hoteleiras com serviços de hospedagem e refeições por encomenda.
Para muitos, as entidades de direito apostaram fortemente no desenvolvimento do sector, havendo actualmente todas as evidências que apontam para a melhoria da situação nos últimos tempos. Para os interlocutores, “o sector está a ser articulado, devido a abertura que os investidores têm estado a encontrar”.
A actividade turística e hoteleira, que é o “El-Dourado” dos turistas provenientes de vários pontos do estrangeiro e do nosso país, torna-se cada vez mais atractiva, neste ponto do território nacional, devido ao crescimento que o sector regista agora.
Ainda assim, pela escassez de quartos que ainda se nota, as noites nas poucas hospedarias de Ndalatando chegam a custar entre oito a mais de 15 mil kwanzas. No hotel Miradouro uma noite pode custar de 19 mil a 99 mil kwanzas.

Manuel Fontoura | Ndalatando

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Nilo Mateus

 

DEIXE UMA RESPOSTA