Ler Agora:
Recuperação da barragem de Cambambe aumenta os níveis de produção de energia
Artigo completo 3 minutos de leitura

Recuperação da barragem de Cambambe aumenta os níveis de produção de energia

Reabilitação inclui a desactivação dos antigos equipamentos para a instalação de novos

O ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa, recebeu domingo, no Dondo, província do Kwanza-Norte, garantias de aumento da produção de energia eléctrica a partir da barragem de Cambambe, com a conclusão, para breve, da primeira fase do projecto de reabilitação da central hidroeléctrica sobre o rio Kwanza.
O engenheiro Alfredo Jaime dos Santos, que fez a apresentação do projecto à delegação chefiada por Bornito de Sousa, garantiu que a produção vai aumentar para 260 megawatts, contra os 180 produzidos anteriormente.
A segunda fase, já em curso desde Setembro último, compreende a construção da segunda central, com quatro grupos geradores, com capacidade para produzir 175 megawatts por unidade, cujas obras incluem a construção da tomada de água, preparação do recinto das turbinas e a ponte de serviços de acesso à margem oposta do rio Kwanza.
Alfredo Jaime dos Santos garantiu a Bornito de Sousa, que foi acompanhado pela ministra da Energia e Águas, Emanuela Vieira Lopes, e pelo presidente do Conselho de Administração da Empresa Nacional de Energia, Fernando Barros, que a terceira e última etapa da obra compreende a elevação do nível da queda de água, que passa de 102 para 132 metros de altura, proporcionando a produção de 960 megawatts a partir de 2014.
Os trabalhos de recuperação da barragem, que constitui uma das principais fontes de fornecimento de electricidade para a capital do país incluem a desactivação dos antigos equipamentos e instalação de novos.
Em Outubro, entrou em funcionamento o grupo gerador nº 1. Em Dezembro próximo, é activado o grupo nº 3. Os outros dois devem entrar em funcionamento até Junho de 2012, segundo o engenheiro Alfredo Jaime dos Santos. A recuperação compreende a instalação de sistemas de controlo automático da barragem e de alerta anti-incêndio, constituído por 32 botijas de oxigénio de 40 quilos, para tornar mais seguro o empreendimento.
A obra de recuperação da barragem de Cambambe, a cargo da empresa brasileira Odebrecht, envolve os consórcios Alston, empresa francesa de geradores, Voith, empresa alemã de turbinas e a Elenco, também alemã, encarregada da desactivação das velhas máquinas e a montagem do novo equipamento, enquanto a brasileira Engevix é responsável pela elaboração dos projectos eléctricos.

 

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »