Projecto Águas de Benguela apontado como maior ganho nos 36 anos

O “Projecto Águas de Benguela” com capacidade de produção de um metro cúbico e meio (mil 500 litros) por segundo é o empreendimento, de acordo com os munícipes no Lobito, que está a permitir o surgimento de várias empresas económicas ao nível do litoral da província. Em declarações hoje, quarta-feira, à Angop, os munícipes Jorge Valanda Gomes e Victória da Conceição reconheceram que sem água seria impossível pensar numa indústria ou no surgimento de novas centralizações urbanas das cidades de Benguela, Lobito, Catumbela e Baía Farta.

De acordo com eles, o executivo foi estratégico ao conceber o projecto, pois está a permitir o surgimento de várias empresas que estão a gerar centenas de postos de emprego para jovens. Para além do projecto estar a permitir o surgimento de novas fábricas, também melhorou o saneamento básico das cidades e consumo de água potável por parte dos munícipes. O Projecto Águas de Benguela, que entrou na sua terceira fase de execução este ano, fornece actualmente água para mais de dois milhões de habitantes das cidades de Benguela, Lobito, Catumbela e da vila piscatória da Baía Farta. Os interlocutores afirmaram que antes da Independência Nacional, apenas os habitantes as zonas urbanas de Benguela, Lobito, Catumbela e Baía Farta tinham água canalizada.

Fonte: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA