Presidente Nguema considera projecto Kilamba um exemplo para África

Chefe de Estado equato-guineense, Teodoro Obiang Nguema ( centro), visita cidade Kilamba
Chefe de Estado equato-guineense, Teodoro Obiang Nguema ( centro), visita cidade Kilamba

Luanda – O Chefe de Estado equato-guineense, Teodoro Obiang Nguema, considerou hoje (sexta-feira), em Luanda, que o Projecto Habitacional do Kilamba, em edificação pelo Governo angolano na capital do país, é um exemplo a seguir e digno de ser imitado pelas nações africanas.

Em declarações à imprensa angolana, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro,  Obiang Nguema advogou que as habitações sociais são cruciais para os países africanos, para que se possa oferecer moradias condignas aos cidadãos.
“Angola tem muita população e beneficiar todas as pessoas com vivendas socais não é fácil, por isso, se optou pela construção de moradias em determinadas áreas facilitará, sobretudo aos jovens, o acesso a casas dignas”, frisou.
Na mesma senda, adiantou que a forma como o Governo angolano conseguiu edificar as residências no Kilamba é um reflexo de que com o tempo, por exemplo meio milhão de habitantes possa sair do centro urbano de Luanda e ocupar essas moradias, vivendo em melhores condições, pelo que felicitou a ideia governamental.
Em jeito de balanço da visita de 48 que efectuou ao país, o estadista equato-guineense começou por agradecer ao povo e ao Governo angolano pela forma como a sua comitiva foi recebida e acarinhada.
Salientou que, actualmente, a Guiné Equatorial preside a União Africana e nesse contexto, veio a Angola também contactar o seu homólogo Eduardo dos Santos, para troca de impressões sobre a situação política africana, em particular, e internacional.
“Abordamos temas importantes no que concerne à cooperação, desenvolvimento, segurança dos estados africanos. Penso que alcançamos grandes entendimentos após análise profunda sobre a actual situação de África e coincidimos nos pontos de vista”, pontualizou.
De igual modo, Nguema revelou que abordaram ainda o processo de adesão da Guiné Equatorial à CPLP, sublinhando estar confiante e acreditar que durante a próxima cimeira da cúpula dessa comunidade, o seu país vai passar de membro observador a membro de pleno direito.
As relações entre Angola e a Guiné Equatorial datam de 1975, após a proclamação da Independência Nacional, a 11 de Novembro, e culminaram com a realização, em Abril último, da primeira sessão da Comissão Mista Bilateral de cooperação.
No encontro realizado em Bata, Guiné Equatorial, as partes concordaram em reforçar os mecanismos de cooperação, tendo em conta os novos desafios políticos, económicos, culturais e sociais que se colocam à África, de modo a permitir uma relação de confiança mútua e com sentido renovado e estratégico.
Fonte: Angop
Foto: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA