Praça Tahrir é palco de novos confrontos no Cairo

Polícia atacou manifestantes com bombas de gás lacrimogêneo neste sábado nas ruas do Cairo.
Polícia atacou manifestantes com bombas de gás lacrimogêneo neste sábado nas ruas do Cairo.

O sábado foi marcado por violentos confrontos durante uma manifestação na praça Tahir, centro da mobilização contra o governo, no centro do Cairo. O protesto havia sido organizado por egípcios feridos durante a revolta popular que resultou na queda do presidente Hosni Moubarak, em fevereiro. Pelo menos 5 ativistas foram detidos.

Os confrontos começaram logo pela manhã e se intensificaram durante a tarde, com a ofensiva da polícia, que usou gás lacrimogêneo e atirou contra os manifestantes com balas de borracha. Centenas de pessoas revidaram atirando pedras e objetos contra as forças de ordem. Um caminhão da polícia foi atacado e incendiado.

No início da tarde um responsável pela segurança do Cairo informou que dezenas de pessoas haviam sido feridas e que vários manifestantes foram presos. De acordo com as últimas informações divulgadas, pelo menos 5 ativistas haviam sido detidos.

O protesto na praça Tahrir, símbolo da queda de Hosni Moubarak, começou há alguns dias, quando os manifestantes decidiram pedir o julgamento dos policiais e dirigentes responsáveis pelos atos violentos durante a revolução de fevereiro. O ex-presidente, assim como seu ministro do interior e alguns responsáveis pela segurança egípcia já estão sendo julgados por terem ordenado o ataque da polícia contra os manifestantes em fevereiro.

Na sexta-feira dezenas de milhares de pessoas que organizavam uma passeata pedindo que o poder seja transferido para um governo civil se uniram aos ativistas da praça Tahrir. As primeiras eleições legislativas desde a queda de Moubarak estão previstas para começar em 28 de novembro e devem durar pelo menos quatro meses.

 

Silvano Mendes

Fonte: RFI

Foto: Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA