Ponte do Cuito em risco de ruir

A avançada degradação da ponte também se deveu à exploração de inertes na outra margem do rio por empresas de construção
A avançada degradação da ponte também se deveu à exploração de inertes na outra margem do rio por empresas de construção

Os municípios de Mavinga e Rivungo podem ficar isolados da sede municipal do Cuito Cuanavale e da cidade de Menongue, capital da província do Kuando-Kubango, devido ao avançado estado de degradação da faixa de rodagem da ponte sobre o rio Cuito, construída com tacos de madeira.
Para avaliar o estado em que se encontra a ponte, o vice-governador para o sector Político e Social, Pedro Camelo, viajou de Menongue para o Cuito Cuanavale e constatou que os tacos de madeira que suportam a base da ponte, colocadas há cerca de 20 anos, se deterioraram com o tempo, em consequência do intenso movimento rodoviário e das chuvas. Em função disto, Pedro Camelo diz ser urgente que se tomem medidas para prevenir que a ponte fique intransitável por muito tempo, porque apesar de ser uma zona de difícil acesso, a via tem sido utilizada por viaturas pesadas, para fazer chegar bens de primeira necessidade à população de Mavinga e Rivungo.
O administrador de Mavinga, Joaquim Cantema, esclareceu que a degradação acelerada da ponte também se deveu à exploração dos inertes, na outra margem do rio Cuito, por empresas de construção civil que trabalham na região e passam com as suas viaturas de grande porte sobre a ponte.
O vice-governador aproveitou para se deslocar às obras de reabilitação do aeroporto local, a cargo da empresa Cubana Imbondex. Os trabalhos encontram-se em fase de conclusão, resumindo-se a pequenos arranjos da aerogare e na aplicação do sistema de iluminação nocturna, ao longo da pista de 2.700 metros de comprimento e 30 de largura.
O governante visitou igualmente as obras de construção do novo hospital, que vai contar com 300 camas, e que estão a cargo de uma empreiteira chinesa. Os trabalhos de construção do Memorial aos heróis da batalha do Cuito Cuanavale, o museu e a biblioteca, e as ravinas que estão a progredir em diversas frentes também mereceram a atenção de Pedro Camelo.

Nicolau Vasco | Menongue

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Nicolau Vasco

 

DEIXE UMA RESPOSTA