Polícias e militares querem salvar a época

1º de Agosto e Interclube disputam no dia da Independência final inédita da segunda maior prova do calendário futebolístico angolano
1º de Agosto e Interclube disputam no dia da Independência final inédita da segunda maior prova do calendário futebolístico angolano

Depois de falharem os objectivos traçados no início da época, Interclube e 1º de Agosto viram as baterias para a conquista da Taça de Angola, em futebol, segunda maior competição nacional, com final marcada para o Dia da Independência Nacional, no Estádio 11 de Novembro.
Arredados da conquista do Campeonato Nacional da I Divisão, Girabola’2011, militares e polícias discutem o troféu que garante a participação na Taça da Confederação Africana (CAF) e deste modo salvarem a época.
O Interclube, esteve a um passo de repetir a proeza de 1999, com Oliveira Gonçalves, quando chegou à final da extinta Taça dos Clubes Vencedores. Os polícias foram incapazes de confirmar a passagem à final da taça CAF ao serem derrotados em Fez pelo MAS de Marrocos, ao perderem por 1-0 nos últimos instantes da partida e já no tempo de compensações. Com a final à vista, acabaram por morrer na praia.
O campeão nacional pagou uma factura alta pelo golo sofrido em casa, na primeira partida onde venceu por duas bolas a uma. Na meia-final da Taça de Angola os polícias foram ao Planalto Central derrotar o Recreativa da Caála por 2-1.
Os pupilos de António Caldas ocupam a quinta posição no Girabola com 50 pontos, menos seis do que o líder, Recreativo do Libolo e enfrentam o Benfica de Luanda, na ultima jornada. Quem ficou muito aquém do esperado foram os militares, que fizeram a maior contratação da história do clube, um total de 11 jogadores, com vista à conquista do Girabola que foge das suas hostes deste 2006.  A onda de empates no arranque da prova ditou o afastamento do técnico sérvio, Lujbinko Drulovic, após dois anos no comando da equipa, onde venceu a Taça de Angola, em 2009. A tábua de salvação encontrada pela direcção foi a contratação dse Carlos Manuel, que não conseguiu colocar a equipa em condições de disputar o ceptro na recta final.
O 1º de Maio de Benguela foi o último obstáculo que os rubro e negros enfrentaram para o acesso à final. O clube das Forças Armadas Angolanas quer ganhar a Taça de Angola para regressar à alta-roda do futebol continental. O 1º de Agosto recebe o ASA no Estádio dos Coqueiros na derradeira jornada do Girabola, onde ocupa o sexto lugar com 42 pontos.

 

 

Armindo Pereira

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: JA

DEIXE UMA RESPOSTA