Países ocidentais saúdam resolução da Agência nuclear da ONU contra o Irã

Manifestação no exterior de uma usina de tratamento no Irã, em apoio ao programa nuclear.
Manifestação no exterior de uma usina de tratamento no Irã, em apoio ao programa nuclear.

Representantes dos países do grupo dos Seis (Estados Unidos, Rússia, China, França, Grã Bretanha e Alemanha), saudaram, nesta sexta-feira, a adoção pela Agência internacional de energia atômica da ONU, de uma resolução sobre o programa nuclear iraniano.

O conselho da Agência internacional de energia atômica (AIEA) adotou, nesta sexta-feira, uma resolução contra o Irã, expressando sua “profunda e crescente preocupação” quanto ao seu programa nuclear. Os Estados Unidos e seus aliados suspeitam que o país esteja construindo uma arma atômica, o Irã nega. A resolução foi adotada por uma grande maioria, com 32 votos a favor, dois contra, de Cuba e Equador, e uma abstenção, da Indonésia, sobre os 32 Estados membros.

A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, saudou a adoção da resolução e pediu, na tarde de hoje, que Teerã aceite as ofertas de negociação feitas pelo grupo dos Seis. “Peço ao Irã, uma vez mais, que responda de maneira favorável às ofertas e às propostas que fiz, junto com os Seis”, declarou Ashton, que também lembrou que “ainda espera” a resposta dos iranianos a sua última carta, do dia 21 de outubro, reiterando suas ofertas.

Segundo Ashton, a resolução da AIEA é uma reação aos resultados particularmente graves sobre as atividades militares nucleares iranianas que estão em seu último relatório. Ela não fez nenhuma referência à decisão recente da União Europeia de preparar novas sanções contra o Irã, no caso do país recusar a via da cooperação com a AIEA.

As sanções poderiam estar em preparação e poderiam ser apresentadas no dia primeiro de dezembro, data na qual os ministros europeus de Relações Exteriores devem se encontrar em Bruxelas.

A Casa Branca também se manifestou, após a decisão da AIEA, e prometeu manter a pressão para que Teerã respeite suas obrigações. “Os Estados Unidos vão manter a pressão até que o Irã abandone seu caminho atual de isolamento internacional”, prometeu o porta-voz do governo americano Jay Carney.

O ministro alemão das relações exteriores Guido Westerwelle também saudou a adoção da resolução e ameaçou Teerã de novas sanções, se o Irã continuar a recusar as negociações sobre seu programa nuclear.

A Rússia, por sua vez, saudou a adoção da resolução. “Trata-se de um documento que não tem o objetivo de condenar ninguém, mas de continuar o diálogo e diminuir as tensões”, afirmou o ministro de relações exteriores russo em comunicado.

 

 

Fonte: RFI

Foto: Reuters/Morteza Nikoubazi

DEIXE UMA RESPOSTA