Obama se encontra com premiê chinês em meio a tensões sino-americanas

Barack Obama
Barack Obama

O presidente norte-americano Barack Obama se encontrou com o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao neste sábado durante a reunião de cúpula regional realizada na Indonésia. China e Estados Unidos vivem um momento de rivalidade sobre a supremacia na região da Ásia-Pacífico. O evento também foi marcado pelo retorno na cena diplomática de Mianmar, a ex-Birmânia.

Barack Obama e Wen Jiabao discutiram durante cerca de uma hora em um hotel na ilha de Bali, na Indonésia, onde acontece nesse momento as reuniões de cúpula dos países da Ásia Oriental (EAS) e da Associação nas Nações da Ásia do Sudeste (Asean). Segundo o ministro chinês das Relações Exteriores, Liu Zhenmin, a conversa entre os dois líderes foi “cordial e franca”. O encontro se concentrou em assuntos econômicos e a delicada questão da moeda chinesa, que Washington considera desvalorizada, além de outras divergências comerciais.

A relação entre os Estados Unidos e a China está balançada nos últimos tempos, principalmente por causa da presença militar dos norte-americanos na região da Ásia-Pacífico, que irrita os chineses. Pequim, que reivindica o controle do mar e dos arquipélagos dessa zona do planeta – que concentra as principais rotas marítimas entre o sudeste asiático, Europa e Oriente Médio –, considera a atitude de Washington como ingerência.

Na manhã deste sábado, Obama alfinetou os chineses ao defender novamente “a liberdade de navegação e o livre movimento do comércio”. Jiabao recusou negociar a questão diante dos outros líderes da região, apesar da insistência dos colegas durante a cúpula.

O evento também foi marcado pelo retorno na cena diplomática de Mianmar, a ex-Birmânia, após um longo período de isolamento e sanções dos Estados Unidos. O país foi escolhido para presidir a edição de 2014 da reunião da Asean. Nesse sábado em Bali, o presidente Obama também anunciou que a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, deve visitar o país para verificar os avanços do novo governo. Essa será a primeira visita de um representante da diplomacia de Washington ao país nos últimos 50 anos.

 

Silvano Mendes

Fonte: RFI

Foto: Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA