Novo aeroporto está pronto a receber aviões

Novo aeroporto de Ndalatando tem capacidade para receber aeronaves do tipo Fokker que transportem até 50 passageiros
Novo aeroporto de Ndalatando tem capacidade para receber aeronaves do tipo Fokker que transportem até 50 passageiros

O Aeroporto de Ndalatando, localizado na região da aldeia de Carianga, a cerca de sete quilómetros a Norte desta cidade, está pronto para a reinauguração.
O empreendimento foi reabilitado e ampliado, fruto de um investimento de 50 milhões de dólares americanos do Governo angolano, segundo o director da empresa encarregue pelos trabalhos, Miguel Rapado Naranjo.
O aeroporto tem uma pista de 2. 120 metros de comprimento e 30 de largura, já asfaltada, podendo suportar a aterragem de aeronaves da aviação ligeira, com uma capacidade de transportação de cerca de 50 passageiros, como as do tipo Fokker 50.
Tem uma franja de segurança lateral de 75 centímetros, uma pista com 10 centímetros de asfalto, capacidade de plataforma para quatro aviões e um cerco de seis mil e 400 metros.
A estação de bombeiros é de categoria cinco, tendo três cisternas para o abastecimento de água com 170 metros cúbicos, dois grupos electrotécnicos de 250 kva, um local para banco de transformadores, tanque séptico com filtros biológicos, entre outros.
O mesmo foi já apetrechado com meios modernos e tecnológicos de última geração, conforme garantiu o responsável da empresa construtora, de nacionalidade cubana.
As obras incluíram a reparação e modernização total do terminal e sala de embarque. Foram também introduzidas inovações ao serem construídas infra-estruturas para o Corpo de Bombeiros, um hangar e um parque de estacionamento capaz de acolher cerca de 50 viaturas.

A via de acesso ao aeroporto, a partir da estrada nacional 230 (Luanda-Malange), foi também reabilitada e asfaltada, facilitando o acesso ao mesmo.
Os trabalhos, iniciados em Outubro de 2009, foram assegurados por 130 trabalhadores nacionais, recrutados na província, e 40 técnicos cubanos.
O aeroporto foi construído nos anos setenta, ainda na época colonial, e recebia aeronaves somente de pequeno porte. Possuía apenas um pequeno edifício que acolhia os passageiros antes do embarque. O mesmo quase não funcionava, tendo deixado totalmente de receber as pequenas aeronaves há cerca de cinco anos.
Até 2009 o aeroporto tinha uma pista de terra batida com 2000 metros de comprimento e os mesmos 30 de largura, limitada por um canal de drenagem lateral, sem franja de segurança, cerco, estação de bombeiros, depósitos de água e demais serviços. As vias de acesso eram todas de terra batida e não estavam cercadas. A plataforma de terra batida permitia apenas o acesso a um avião.
Enquanto a obra caminhava para a sua conclusão, o governo provincial providenciou a denominação oficial do aeroporto, através de uma consulta pública lançada no mês de Junho.
Os nomes de aeroporto de Carianga, Comandante Ngueto, Hoji ya  Henda e Rainha Nginga constaram entre as principais sugestões recebidas, através de encontros públicos, em que participaram intelectuais, autoridades tradicionais, religiosas, militares, policias e partidos políticos, entre outros.
A designação Comandante Ngueto registou maior receptividade que as outras propostas, tendo então o Ministério da Administração do Território, após ter sido solicitado pelo Governo provincial, decido, em Setembro de 2011, pela designação de Aeroporto de Ndalatando Comandante Ngueto.
José Domingos Baptista Cordeiro “Ngueto” nasceu na região de Carianga, arredores da cidade de Ndalatando. Notabilizou-se, na sua carreira militar quando, comandante da sexta região militar das extintas FAPLA, no Cuito Cwanavale (Kuando – Kubango), conseguiu impedir o avanço das tropas sul-africanas que, munidas de inovado armamento (os canhões de longo alcance “G-5” e “G-6”) pretendiam tomar de assalto aquela região. Faleceu em 2002, num acidente de aviação, numa altura em que liderava uma missão do grupo técnico regional Norte que, num helicóptero MI-17 da Força Aérea Angolana, se dirigia a área de aquartelamento de Mussabo, no quadro da implementação do memorando de entendimento assinado a 4 de Abril do mesmo ano pelas Forças Armadas Angolanas e as da UNITA.

Satisfação

A propósito da reabilitação e ampliação do aeroporto de Carianga, a nossa reportagem ouviu alguns cidadãos da região que se mostraram entusiasmados com a obra que a província do Kwanza – Norte e a cidade de Ndalatando, em particular, passaram a ter.
O munícipe Marcos de Sá Miguel saudou os esforços do Governo pela realização deste trabalho que, para ele, está cada vez mais a melhorar a qualidade de vida dos angolanos em geral e dos kwanza – nortenhos em particular.
Realçou ser um acontecimento inédito a reabilitação total do aeroporto, há muito abandonado, devendo ficar, como sublinhou, registada na vida dos cidadãos da região da aldeia de Carianga.
Para os funcionários públicos Margarida do Sacramento e Alzira Guimarães, o empreendimento, de que todos os provincianos devem orgulhar-se, vai proporcionar outros níveis de desenvolvimento a província.

Silvino Fortunato e Manuel Fontoura | Ndalatando

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Dombele Bernardo

DEIXE UMA RESPOSTA