Missão africana combate o terror

Missão de paz composta por ugandeses e burundeses vai ser reforçada brevemente com um contingente de soldados quenianos
Missão de paz composta por ugandeses e burundeses vai ser reforçada brevemente com um contingente de soldados quenianos

Os ministros da Defesa da África Oriental lançaram no início desta semana um apelo à elaboração de uma abordagem global visando combater os terroristas e os piratas na Somália, bem como apoiar a operação militar queniana contra o movimento islamita Al-Shabaab.
A União Africana (UA) convocou uma reunião dos países que enviaram contingentes militares para a Somália, entre os quais o Burundi, Djibouti, Etiópia, Quénia, Somália e Uganda, para analisar a situação política, humanitária e de segurança na Somália.
A reunião dos ministros da Defesa, na terça-feira, seguiu-se à dos chefes dos Estados-Maiores das Forças Armadas ocorrida de 5 a 12 deste mês, informou o Departamento de Paz e Segurança da UA.
O comissário da UA para a Paz e Segurança, Ramtane Lamamra, presidiu a reunião em que também participou uma alta funcionária das Nações Unidas encarregada da manutenção da paz, Susan Malcora, para discutir os meios de consolidar a paz e a segurança na Somália.
Os ministros da Defesa declararam que progressos positivos foram registados na Somália, entre os quais a assinatura do Acordo de Kampala que estipula meios para pôr termo ao actual Governo Federal de Transição (TFG) e organizar eleições em Agosto de 2012.
“A reunião sublinhou o seu apoio aos esforços da UA para restaurar a segurança na Somália e facilitar a implementação do roteiro (agenda) político que vai inaugurar um novo processo político em Agosto”, disse a UA num comunicado. Os ministros da Defesa saudaram a operação militar queniana em curso contra a Al-Shabaab e consideram que representa um “avanço positivo” que enfraqueceu o grupo rebelde no sul e no sudeste da Somália.
“A reunião ressaltou que a iniciativa militar queniana deu uma oportunidade suplementar de enfraquecer a Al-Shabaab e privá-la de recursos humanos e financeiros, reforçar a presença administrativa do TFG e facilitar a implementação do roteiro político”, indicou o comunicado. Os ministros exortaram os políticos somalis a tomarem medidas eficientes para assegurar que os compromissos assumidos serão cumpridos e apelaram para que os aspectos militares acompanhem o esforço humanitário.

Os ministros apelaram igualmente ao desdobramento de tropas adicionais para apoiar a Missão da UA na Somália (AMISOM) para assistir as populações atingidas.
“Os participantes abordaram e concordaram sobre as medidas práticas a tomar para favorecer a promoção da paz e da reconciliação na Somália”, segundo o comunicado da UA. A reunião aprovou planos para garantir que consultas suplementares serão levadas a cabo com o Conselho de Segurança das Nações Unidas, que deve aumentar o seu apoio à AMISOM, cujo efectivo totaliza 12 mil militares.
A Autoridade Inter-governamental para o Desenvolvimento (IGAD) e a UA insistiram no reforço das forças de manutenção de paz da AMISOM para que ela tenha um contingente aéreo e uma componente marítima para garantir a sua eficiência na luta contra os grupos extremistas.

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: AFP

 

DEIXE UMA RESPOSTA