Mirex defende qualificação dos quadros no combate à criminalidade na CPLP

Ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Rebelo Chikoti
Ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Rebelo Chikoti

Luanda – O ministro angolano das Relações Exteriores, Georges Rebelo Chikoti, defendeu uma maior atenção à formação de quadros para melhorar a actuação das forças de defesa e segurança no combate à criminalidade no espaço da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O governante discursava na cerimónia de abertura do II fórum de ministros da administração interna/interior da CPLP, que decorre em Luanda.
Declarou que esta reunião de Luanda constitui “uma excelente oportunidade para reflectir sobre os caminhos que a comunidade deverá trilhar no futuro próximo”.
Referiu que a mesma permitirá analisar os problemas que a comunidade enfrenta relacionados com a imigração ilegal, ao crime organizado e outros.
Falou ainda da necessidade de se aprimorar técnicas que permitem melhorar o policiamento de proximidade e protecção civil, gestão de desastres, controlar o fluxo migratório, harmonização dos serviços prisionais e a protecção e segurança das populações.
Georges Chikoti garantiu que a presidência angolana na comunidade, no cumprimento das suas responsabilidades, dedica particular atenção à reforma do sistema de defesa e segurança da República da Guiné-Bissau, por ser crucial para a consolidação da paz e garantia de uma estabilidade política sustentável.
Informou estar ainda prevista a assinatura e implementação de um memorando de entendimento tripartido Guiné-Bissau, Comunidade Económica de Desenvolvimento da África Central (CEDEAC) e CPLP.
Frisou que a missão angolana, instituída por acordo bilateral, tem desenvolvido as suas actividades “satisfatoriamente” no quadro da cooperação técnico-militar e policial.
No quadro das relações bilaterais, sublinhou que Angola tem procurado igualmente discutir e concluir acções de interesse comum com as repúblicas de Cabo Verde, Moçambique e São Tome e Príncipe, com os quais assinou acordos nos domínios da segurança e ordem pública.
Os referidos acordos tem sido verdadeiros sinónimos da cooperação, com destaque para a formação de polícias, de forma recíproca, o que testemunha o interesse reiterado da consolidação das relações entre países da CPLP, sublinhou.
Lembrou que a Assembleia Nacional aprovou no passado mês de Outubro os acordos com o Brasil sobre a extradição, transferência de pessoas condenadas e auxílio judiciário.
Informou que está agendada para este mês, em Brasília, uma reunião para analisar aspectos de cooperação no âmbito consular e migratório.
Com Portugal, de acordo com o ministro, passou a vigorar um protocolo sobre facilitação de vistos, uma amostra do interesse na dinamização das relações entre os dois países.
Fonte: Angop
Foto: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA