Ministra afirma que pluralismo e imparcialidade na imprensa são realidade

Ministra da Comunicação Social, Carolina Cerqueira

Luanda – A ministra da Comunicação Social, Carolina Cerqueira, disse nesta segunda-feira, em Luanda, que o entendimento dos pressupostos da pluralidade de ideias e a imparcialidade jornalística são realidades visíveis no jornalismo angolano, tendo em conta os indicadores positivos que se observam.

De acordo com a governante, que se debruçava sobre o sector durante a sessão da 5ª Comissão de Economia e Finanças, que discutiu as dotações orçamentárias no sector social, o país tem observado visíveis exemplos neste particular, embora se reconheça necessário haver ainda melhorias neste sentido.

Carolina Cerqueira disse que este ponto deve ser bem compreendido e se ter em conta a necessidade de se considerar e respeitar a questão das linhas editoriais de cada órgão. “A nível do sector da comunicação existe uma apreciação dos conselhos editoriais sobre os conteúdos produzidos. A pluralidade de ideias, a isenção, a imparcialidade são uma realidade e constitui um processo em curso, pelo que há trabalho neste sentido”, disse, quando respondia a inquietações levantadas por deputados.

Sobre o pacote legislativo da Comunicação Social, a governante referiu que está sob apreciação da Assembleia Nacional. “Muito brevemente vai dar-se uma discussão técnica com distintas equipas sectoriais e os deputados”.

Numa outra perspectiva, a ministra disse haver também um amplo plano estratégico para a modernização do sector da Comunicação Social, de modo a que possa ser um agente activo de desenvolvimento social e de modernidade.

O plano, para o triénio 2010/2012, passa, entre outras acções,  pela capacitação dos recursos humanos e modernização do sector.

De acordo com dados oficiais, o sector da comunicação social desenvolve projectos ambiciosos, em parceria com o Ministério das Telecomunicações, principalmente no âmbito da digitalização dos serviços de rádio e de televisão, bem como da implementação da TV digital terrestre, actualmente em fase experimental e a ser concluída em 2015.

Apesar destas apostas, o projecto mais relevante e de maior impacto social é a extensão do sinal de rádio e da televisão em todo o território nacional para que todos os angolanos possam ser informados sobre Angola e o mundo, podendo assim tirar ilações próprias, cultivar-se e entreter-se, o que permitirá a comunicação social cumprir cabalmente com o seu papel.

Fonte: Angop

Foto: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA